SADIO MANÉ, atacante africano de 30 anos, do Bayern Munique e da seleção do Senegal, foi o mais tímido e humilde, ao receber o Troféu Sócrates, na festa de premiação da Bola de Ouro. A revista France Football criou o troféu, entregue pela primeira vez, para premiar os jogadores que realizam ações sociais solidárias.

SÓCRATES, falecido em 4 de dezembro de 2011, aos 57 anos, foi exaltado pelos organizadores da Bola de Ouro como lenda do futebol mundial. Foi incluído também entre os que mais se comprometeram com a democracia e as causas dos menos favorecidos. O ex-meia Raí, irmão mais novo de Sócrates, entregou o troféu a Mané.

SADIO MANÉ mereceu o 1º Troféu Sócrates, pelo trabalho social em Bambali, pequena aldeia rural do Senegal, onde os 30 mil habitantes vivem da pesca, do plantio de bananas e do cultivo do arroz. Ele investiu mais de 1 milhão de dólares na construção de uma escola e do primeiro hospital da região.

CAMPEÃO da Copa Africana de Nações, em fevereiro de 2022, ao vencer o Egito nos pênaltis, Sadio Mané teve o maior reconhecimento dos torcedores pelo título inédito da seleção do Senegal, que já defendeu em 93 jogos, com 34 gols. Após seis anos no Liverpool, com 120 gols em 269 jogos, ele foi vendido em junho ao Bayern.

TROFÉU RAYMOND KOPA

EM HOMENAGEM ao primeiro francês vencedor da Bola de Ouro, em 1958,  o Troféu Raymond Kopa, ao melhor jogador sub-20, foi ganho pelo meia-atacante espanhol Gavi, de 18 anos, já em sua primeira temporada na equipe principal. O meia Pedri, também do Barcelona, ganhador do prêmio em 2021, fez a entrega do troféu a Gavi.

O ANÚNCIO DOS NOMES dos premiados, durante toda a solenidade, é feito por um ex-jogador, convidado da revista France Football. Ronaldo Fenômeno, que em 1996-97 fez 47 gols em 49 jogos e ganhou no Barcelona a Supercopa da Espanha, a Copa do Rei e a Recopa da Europa, anunciou a premiação de Gavi, que se emocionou.

BOM LEMBRAR: o ex-meia Raymond Kopa (pronuncia-se Kopá) disputou a semifinal da Copa de 58, em que Pelé marcou três gols nos 5 x 2 na França. Fã do jogador brasileiro, admirava a seleção do primeiro título mundial, especialmente Pelé, Garrincha, Didi e Nilton Santos, que resumia em uma palavra: Notables (Notáveis).

Foto: Sadio Mané