NO CONFRONTO DOS ASTROS DO LIVERPOOL, Sadio Mané superou Mohamed Salah e ganhou a Copa Africana de Seleções pela primeira vez para o Senegal, ao vencer o Egito por 4 x 2 nos pênaltis, após 120 minutos sem gol, diante de 50 mil torcedores, na noite deste domingo (6), no estádio Olembé, em Yaoundé, capital da República dos Camarões. Mané não aproveitou um pênalti, logo aos 5 minutos, que o goleiro egípcio Gabaski defendeu, mas converteu a última cobrança, que valeu o título inédito.

ÉDOUARD MENDY, de 29 anos, 1,94m, único goleiro negro do Campeonato Inglês, comprado por 22 milhões de libras do francês Rennes, joga no londrino Chelsea desde setembro de 2020, e teve atuação destacada na conquista inédita do Senegal, e defendeu pênalti do meia Lasheen. Campeão da Liga dos Campeões da Europa, ele ganhou o prêmio de melhor do mundo 2020-21 da FIFA, superando o alemão Neuer, do Bayern, e o italiano Donnarumma, da Juventus.

A SELEÇÃO DO SENEGAL é dirigida desde 2015 pelo ex-volante Aliou Cissé, de 45 anos, que jogou de 94 a 2009 no PSG, Lille, Nimes e em times ingleses. O objetivo agora é a classificação à 3ª Copa do Mundo, vaga que o Senegal disputará em março, em reencontro com o Egito. Os senegaleses venceram a França, campeã de 98, na abertura da Copa de 2002, por 1 x 0, e só voltaram em 2018. Bom lembrar: o Egito havia sido sete vezes campeão da Copa Africana.

O TÉCNICO PORTUGUÊS Carlos Queiroz, ex-goleiro de 68 anos, sentiu-se frustrado com a derrota do Egito, admitindo que o rendimento foi bem abaixo do esperado. O ponta Salah compartilhou da frustração porque admitia que a conquista pudesse também aumentar sua chance de ser o melhor do mundo na próxima eleição da FIFA. O Egito tentará entrar pela 4ª vez na Copa do Mundo, depois de participar em 1934, 1990 e 2018.

A MAIOR GOLEADA – Al Hilal, da Arábia Saudita, será o adversário do Chelsea, na 2ª semifinal, depois de aplicar neste domingo (6), a maior goleada da história do Mundial de clubes da FIFA por 6 x 1, de virada, no Al Jazira, no estádio Mohamed bin Zayed, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos. O meia mineiro Mateus Pereira, de 25 anos, autor do 3º gol, foi eleito melhor do jogo. O atacante Michael, ex-Flamengo, só entrou aos 38 do 2º tempo.

O TÉCNICO DO AL HILAL é Leonardo Jardim, de 47 anos, filho de emigrantes portugueses, nascido na Venezuela. Em 2012-13 dirigiu o Sporting de Lisboa e em 2016-17, campeão francês no Mônaco, onde dirigiu Mbappé. O técnico foi campeão da Liga dos Campeões da Ásia, o que deu ao saudita Al Hilal o direito de entrar direto nas quartas de final do Mundial de clubes. Apesar dos 6 x 1, ele atribui todo o favoritismo ao Chelsea na próxima 4ª feira (9).

PALMEIRAS E AL AHLY, que terá o reforço de seis da seleção do Egito, farão a primeira semifinal, 3ª feira (oito), e o vencedor decidirá o Mundial de clubes, sábado (12), com o vencedor de Chelsea x Al Hilal. O técnico português Abel Ferreira disse que “o Palmeiras tem consciência das dificuldades que vai enfrentar, mas a confiança na equipe bicampeã da Libertadores é ilimitada”.

Foto: Charly Triballeau / AFP