Atual campeão e recordista com 35 títulos, o Flamengo abre o Campeonato Carioca de 2020 amanhã (18) com o Macaé. Em outra tentativa de salvar o que já foi o mais charmoso do futebol brasileiro, os organizadores decidiram homenagear o ex-maior estádio do mundo, dando ao campeonato a denominação de Maracanã 70 anos.]

O MARACANàfoi pré-inaugurado na tarde de 16 de junho de 1950, com entrada franca, no amistoso em que o futuro bicampeão mundial Didi marcou o primeiro gol, aos 10 minutos, mas ainda no primeiro tempo a seleção de novos do Rio levou a virada da seleção de novos de São Paulo, que ganhou (3 x 1).

NA SELEÇÃO de novos do Rio, os principais nomes eram Didi, que brilhou no Fluminense, Botafogo e seleção bicampeã mundial como titular em todos os jogos de 58 e 52; Dimas, artilheiro do América e do Vasco; Carlyle, artilheiro do Fluminense, e Esquerdinha, ponta do primeiro tricampeonato do Flamengo no Maracanã (53-54-55).

ENTRE OS NOVOS de São Paulo, dois que brilharam na então Portuguesa de Desportos, Djalma Santos – bicampeão mundial em 58-62 – e o volante Brandãozinho, da Copa de 54; o meia Rubens, que era do Ypiranga e depois foi campeão no Flamengo e no Vasco; o meia Luisinho, do Corinthians, campeão do IV Centenário em 54, e Ponce de Leon, atacante que brilhou no São Paulo, e foi casado com Dulce Rosalina, torcedora-símbolo do Vasco. 

A SOLENIDADE de apresentação do Campeonato Carioca de 2020, na noite de ontem (16), não teve brilho nem atrações. O início é desolador, com o carro-chefe Flamengo escalando sub-23, e os outros sem apresentar os novos contratados, que também não chegam a despertar interesse. A pouco e pouco, o campeonato se aproxima dos estertores. E se esvazia ainda mais.