Com os gols de Helinho e Claudinho, novo artilheiro do Brasileiro 2020, junto com Tiago Galhardo, do Internacional, e Marinho, do Santos, com 16, o Bragantino derrotou (2 x 0) o Corinthians, na noite de ontem (25), na Arena Corinthians, no jogo que completou a trigésima segunda rodada. Foi a quarta vitória em cinco jogos de invencibilidade do Massa Bruta no returno, após ficar o turno inteiro sem ganhar. O Bragantino é o próximo adversário do líder Internacional, domingo (31), em Porto Alegre.

CONFIRMOU – O atacante Helinho, de 20 anos, paulista de Sertãozinho, emprestado pelo São Paulo, fez 1 x 0 logo aos dois minutos, de fora da área, aproveitando a saída errada do lateral Fabio Santos. O segundo gol, aos 42, foi do meia Claudinho, de 23 anos, paulista de Garulhos, encobrindo o goleiro Cassio, após receber assistência de Ytalo. Detalhe: o Bragantino venceu todos os jogos em que saiu para o intervalo com a vantagem de dois gols.

SEM EFEITO – No segundo tempo, sempre atento na marcação, o Bragantino manteve a décima primeira vitória em 32 jogos e subiu duas posições, terminando a rodada em décimo primeiro, com 44 pontos – 11 vitórias, 11 empates, 10 derrotas, saldo de oito gols (45 a 37) -, além de comemorar o sucesso do meia Claudinho, que chegou à artilharia do campeonato. O time ganhou mais motivação para o jogo de domingo (31), em Porto Alegre, com o líder Internacional.

BOA AJUDA – A vitória do Massa Bruta por 2 x 0 no Corinthians representou boa ajuda ao Fluminense. O Corinthians caiu uma posição e está em décimo com 45 pontos, mesma pontuação do Ceará, oitavo, e do Santos, nono, e também com 12 vitórias, mas em desvantagem no saldo de gols. O Fluminense é sétimo com 50 pontos, mais a vantagem de duas vitórias (14 a 12) sobre o Ceará, Santos e Corinthians, que, no entanto, tem um jogo a menos, quinta (28), em Salvador, com o Bahia.

MASSA BRUTA – Assim o Bragantino é chamado pelos colegas da crônica paulista. Por que Massa Bruta? A resposta me foi dada por Cicero Mello, da ESPN, que foi correspondente no Rio da Rádio 102 FM, após ouvir o colega Sergio Loredo, ex-ESPN e repórter da emissora de Bragança Paulista. Assim: O Bragantino iniciou na Liga Amadora, em 1931, e tinha um time forte, que quase não perdia em casa. Por isso, os adversários, inclusive os da cidade, passaram a chamá-lo de Massa Bruta”.

SEGUE A HISTÓRIA – Massa Bruta, para os de Bragança Paulista – a 88 km da capital – era tipo sinônimo de Rolo Compressor -, mas em 1940 o Leão passou a ser mascote do time e o Massa Bruta ficou um pouco esquecido. No entanto, no início dos anos 90, o Massa Bruta voltou com força total, com apoio da família Chedid, que contratou Vanderlei Luxemburgo. O técnico levou o Bragantino aos títulos de campeão brasileiro da Série B em 1989 e campeão paulista da Série A em 90. A volta do Massa Bruta.

BRAGANTINO – Cleiton, Aderlan, Leo Ortiz, Ligger e Edimar; Raul, Ryller (Ramires) e Claudinho (Bruno Tubarão); Artur (Leandrinho), Ytalo (Hurtado) e Helinho (Cuello). Técnico – Maurício Barbieri. A série invicta de cinco jogos do Bragantino: 4 x 2 no São Paulo, 2 x 2 Atlético Paranaense, 2 x 1 de virada no Ceará, 4 x 1 no Vasco e 2 x 0 no Corinthians (0 x 0 no turno). Sem vencer em casa no turno, o Bragantino conseguiu a terceira vitória, depois de 2 x 1 no Botafogo e no Ceará.

CORINTHIANS – Cassio, Fagner, Bruno Mendez, Gil e Fabio Santos; Gabriel, Ramiro (Gabriel Pereira) e Gustavo (Leo Natel); Cazares (Luan), Mateus Vital (Otero) e Jô (Everaldo). Técnico – Vagner Mancini. Foi o sexto jogo do atual campeonato em que o Corinthians saiu perdendo e não conseguiu reverter a desvantagem, sequer empatando. Das 10 derrotas do time, quatro na Arena Corinthians, duas em cada turno.

NOVE CARTÕES – Boa arbitragem de Bruno Arleu Araújo, da Federação do Rio de Janeiro, que marcou 30 faltas (16 do Corinthians) e aplicou nove cartões amarelos, em Ramiro, Gabriel Pereira, Leo Natel, Everaldo e Otero, suspenso do jogo de quinta (28) Bahia x Corinthians, e Aderlan, Leo Ortiz, Helinho e Cuello. Ventou e choveu, embora sem muita intensidade, no estádio Nabi Abid Chedid, homenagem ao patrono do clube e ex-presidente da CBF.

788 GOLS – Após Corinthians 0 x 2 Bragantino, segundo visitante a vencer, depois dos 4 x 3 do Goiás no Santos, a rodada foi concluída com 31 gols e sem 0 x 0, registrando-se no Brasileiro 2020, 788 gols em 316 jogos, média de 2.49 gols por jogo. O Internacional tem o ataque mais positivo (55), e o Grêmio, a defesa menos vazada (27).

Foto: Gazeta Esportiva