Quatro dias após completar 34 anos, depois de amanhã (24), Messi será o recordista de jogos da seleção argentina, com 148, na próxima segunda (28), no último jogo da fase de grupos da Copa América, com a Bolívia, na Arena Pantanal, em Cuiabá, capital do Mato Grosso. Messi igualou os 147 jogos do volante Javier Mascherano, parceiro de 8 temporadas e 20 títulos no Barcelona, no 1 x 0 da noite de ontem (21), sobre o Paraguai, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. 

TRISTE LEMBRANÇA – O primeiro dos 147 jogos pela seleção, aos 18 anos, é de triste lembrança para Messi, apesar da vitória (2 x 1) sobre a Hungria, no amistoso da quarta, 17 de junho de 2005, no estádio Ferenc Puskas, em Budapeste. Ele entrou aos 13 do segundo tempo, substituindo o zagueiro Heinze, que acabara de marcar o segundo gol, e só ficou dois minutos em campo, expulso aos 15 pelo árbitro alemão Markus Merk, ao revidar falta dura do zagueiro Vanczek.

PRIMEIRO GOL – Só nove meses após a estreia foi que Messi, formando dupla com Tevez, fez o primeiro gol pela seleção, o da virada (2 x 1) sobre a Croácia, no amistoso da quarta, 16 de junho de 2006, no estádio São Jacó, na Basileia, na Suíça. Mas, no segundo tempo, os suíços ganharam de virada (3 x 2). Bom lembrar: em 16 de junho de 2006, Messi foi autor mais jovem, aos 18 anos, 357 dias, de um gol da Argentina em Copa do Mundo, o último dos 6 x 0 na Sérvia.

NA LIDERANÇA – Messi iniciou a jogada do gol único da vitória sobre o Paraguai, na noite de ontem (21), em Brasília. Ele passou por dois marcadores e abriu para Di Maria fazer o cruzamento sob medida para o gol de Papu Gomez, de 33 anos, logo aos nove minutos. Ele joga há 11 anos na Europa e foi comprado em 2021 pelo Sevilha, após seis temporadas de sucesso na Atalanta de Bergamo. A Argentina lidera o Grupo A da Copa América com 7 pontos (2 vitórias, 1 empate).

DE 66 PARA 140 – Depois de quase dezesseis mil testes, a Confederação Sul-Americana de Futebol informou na noite de ontem (21), que os casos de infecção na Copa América subiram, desde quinta (17), de 66 para 140, aumentando a preocupação em todas as dez delegações. As mais afetadas são as da Venezuela, Colômbia, Bolívia e Chile, daí a organização do torneio ter tornado ilimitado o número de substituições, que antes eram de cinco em cada jogo.

BRASIL EM PRIMEIRO – Favorita ao segundo título consecutivo, após ganhar invicta e só com um gol sofrido a edição de 2016, a seleção brasileira deverá confirmar amanhã (23), no jogo com a Colômbia, no estádio Nilton Santos, o primeiro lugar do Grupo B. Com 100% de aproveitamento – 2 jogos, 2 vitórias, 7 gols marcados e nenhum gol sofrido -, a seleção brasileira jogará com a Colômbia, vice-líder com 4 pontos, que tenta confirmar a segunda vaga.s

Foto: Photo by Wagner Meier/Getty Images