Foto: Eurosport

O título desta matéria é o mesmo da edição online do Mundo Deportivo, prestigioso jornal espanhol, ao analisar a atuação da Argentina na derrota (3 x 1) para a Venezuela, no amistoso da noite de ontem (22), no estádio Wanda Metropolitano, em Madrid. Um título que reflete a realidade, oito meses depois de uma campanha melancólica na Copa do Mundo em que a Argentina foi eliminada pela França nas quartas de final.

SEM BRILHO – Está bem claro que o problema da seleção argentina não é de técnico. Lionel Scaloni, que substituiu Jorge Sampaoli, após a Copa, terá muito trabalho para ajustar a equipe, com valores que só demonstram competência nos times europeus em que atuam. Incrível quanto pareça, a Argentina foi dominada na maior parte do jogo e começou a perder logo aos cinco minutos, com o gol de Samuel Rondon, após belíssima assistência de Roberto Rosales. Rondon, de 29 anos, joga no modesto Newcastle, décimo terceiro do campeonato inglês, emprestado pelo West Bromwich.

Juan Medina/Reuters

MAIS UM – A Venezuela, do técnico Rafael Dudamel – maior goleiro de sua história -, seguiu com o domínio, tirando os espaços da Argentina, e atacando sempre com muito perigo. O segundo gol foi de Murillo, aos 43, após cobrança rápida de falta em que trocou de pé ao receber a bola na esquerda e finalizar de direita bem no cantinho do goleiro Franco Armani. Jhon Murillo, de 23 anos, é jogador de outro time modesto da Europa, o Tondela, apenas décimo quinto do campeonato português.

Logo após a vitória sobre a Argentina, o técnico da Venezuela entregou o cargo. Rafael Dudamel disse que se sentiu desconfortável com a presença de um representante de Juan Guaidó, que se autointitula presidente em exercício. “Trabalho com jogadores de futebol, não com políticos” – resumiu Dudamel, hoje aos 46 anos, que defendeu a seleção em 56 jogos, entre 1993 e 2010.

UM ESBOÇO – Os argentinos não passaram de um esboço de reação no segundo tempo em que voltaram um pouco melhor, mas pararam no gol do atacante Lautaro Martinez, da Inter de Milão. Ele completou com uma bonita cavadinha a assistência do meia Lo Celso, depois que Messi iniciou a jogada. Sem se abalar, a Venezuela retomou o domínio e fez o terceiro gol aos 31, com o atacante Josef Martinez convertendo o pênalti que sofreu do lateral Foyth. Antes da cobrança, ele deu um salto!

Josef Martinez, de 25 anos, natural da capital Caracas, é tido como um espalhafatoso em suas ações em campo. Em 2018 foi o artilheiro do campeonato americano, em que joga pelo Atlanta United FC, do estado da Georgia, e todos os 18 gols que marcou tiveram sempre uma comemoração diferente. No início, o técnico holandês Frank de Boer, ainda tentou que mudasse o estilo, mas desistiu e hoje é um dos primeiros a achar graça nas comemorações de Josef Martinez.

ARGENTINA – Franco Armani, Foyth, Mercado (Kannemann, intervalo), Lisandro Martinez (Blanco, intervalo) e Tagliafico; Paredes, Lo Celso (Pereyra, 32 do segundo tempo) e Montiel; Lautaro Martinez (Benedetto, 24 do segundo tempo), Messi e Pity Martinez (Matias Suarez, 33 do segundo tempo). Messi não seguirá hoje (23) com a seleção para o amistoso de terça (26), em Tânger, no Marrocos, devido às fortes dores na região pubiana.

VENEZUELA – Fariñez, Hernandez, Osório, Villanueva e Rosales; Moreno, Herrera (Soteldo, 18 do segundo tempo) e Rincón; Machís (Añor, 33 do segundo tempo), Murillo e Rondon (Josef Martinez, 25 do segundo tempo). 

ARGENTINA VULGARIZA MESSI – Esta é a manchete do diário AS, de Buenos Aires, criticando a escalação de Messi em jogo sem importância e com adversário inexpressivo, que acabou deslustrando a imagem do futebol do país e do melhor jogador do mundo na atualidade. CLARIN, um dos jornais mais importantes da América do Sul, editado na Argentina, resume: “Decepção na volta de Messi”.  Outro jornal argentino, La Prensa, foi enfático:“Venezuela bate sem pena na Argentina na volta de Messi”.

REPERCUSSÃO – A derrota para a Venezuela teve também muita repercussão em outros países. Em Montevidéu, El País destacou:“Uma derrota muito dura para a Argentina na volta de Messi”. Em Madrid, o diário esportivo MARCA resumiu: “Argentina continua cansando Messi”.

PERU 1 x 0 PARAGUAI – Na estreia do técnico argentino Eduardo Berizzo, de 49 anos, o Paraguai completou quatro jogos sem vitória, ao ser derrotado com o gol do meia Christian Cuevas, que joga no Santos, logo aos três minutos do amistoso da noite de ontem (22), no Red Bull Stadium, em Nova Jersey. O gol de Cueva foi em grande estilo, encobrindo o goleiro Gatito, do Botafogo.

OMBRO DE PIRIS – Ao cair de mau jeito aos 38 do primeiro tempo, o apoiador Piris da Motta, do Flamengo, sentiu muito o ombro direito e teve que ser substituído por Valdez. Piris será avaliado para saber se poderá disputar o próximo amistoso do Paraguai, terça (26), em Santa Clara, na Califórnia, com a seleção do México.

PIRIS DA MOTTA é um dos quatro da seleção paraguaia que atuam no Brasil. Os outros são o goleiro Gatito (Botafogo), o zagueiro Gustavo Gomez (Palmeiras) e o meia Derlis Ortiz (Santos). Da seleção peruana, Trauco (Flamengo) e Cueva (Santos). O Peru faz o próximo amistoso com El Salvador, terça (26), em Washington, a capital dos Estados Unidos.

MÉXICO VENCE CHILE – Em jogo encerrado na madrugada deste sábado (23), em San Diego, no sul do estado da Califórnia, nos Estados Unidos, o México venceu (3 x 1) o Chile, na estreia do técnico argentino Gerardo Tata Martino, de 56 anos, saudado com intensa vibração  pelos 70 mil torcedores mexicanos, que lotaram o estádio multiuso SDCCU. Todos os gols foram marcados no segundo tempo, com amplo domínio da seleção azteca, que se prepara para a Copa Oro, de 15 de junho a 7 de julho.

EM 13 MINUTOS – O México atropelou o Chile com três gols em treze minutos. Raul Jimenez fez o primeiro, de pênalti, aos 6, Hector Moreno marcou o segundo, de cabeça, aos 18, e no minuto seguinte, Hirving Lozano fez 3 x 0 aos 19. O gol chileno foi de Castillo aos 23 minutos. Terça (26) o México volta a campo na Califórnia para o amistoso com o Paraguai, na cidade de Santa Clara. O próximo amistoso do Chile também será terça (26) com a seleção dos Estados Unidos.

100 JOGOS – O goleiro Guillermo Ochoa, que não deixa de usar uma fita para prender o cabelo, completou 100 jogos pela seleção do México, em que estreou em 14 de dezembro de 2005, também com vitória (2 x 0) em amistoso com a Hungria. Nascido em Guadalajara, Ochoa tem 33 anos, 1,84m, e desde 2017 joga na Bélgica pelo Standard de Liege. Sem que o clube tenha explicado por que, recebeu a camisa 8, que usa desde a estreia. 

EX-FLAMENGO – A seleção do Chile, que perdeu (3 x 1) para o México, é dirigida desde janeiro de 2018 pelo colombiano Reinaldo Rueda, de 61 anos, técnico do Flamengo em 2017 em 31 jogos, com 13 vitórias, 10 empates, 8 derrotas. O contrato dele com a Federação Chilena é até julho de 2022. Ruedaclassificou Honduras para a Copa do Mundo de 2010 – a última da seleção hondurenha havia sido em 1982 – e o Equador para a Copa de 2014 no Brasil.Sem nunca ter sido jogador profissional, ele diz que se espelhou em dois técnicos: Telê Santana e o espanhol Vicente del Bosque, campeão do mundo em 2010.

COPA DA CHINA – Sem os artilheiros Luis Suarez (Barcelona) e Edinson Cavani (PSG), em recuperação, o Uruguai venceu (3 x 0) a seleção do Uzbequistão e vai decidir a Copa da China com a Tailândia, segunda (25). Christian Stuani, um dos principais goleadores do campeonato espanhol pelo Girona, marcou dois gols. O outro gol foi do meia canhoto Gaston Pereyro, do PSV da Holanda.