Os jornais esportivos da Europa destacam a doação de três milhões de euros, feita ontem (24) por Messi e Guardiola na campanha contra o coronavírus, ao mesmo tempo em que registram a adesão do Barcelona à redução de salários no futebol, inclusive o feminino, e em outras modalidades, até que a epidemia seja vencida e a situação se normalize. A doação de um milhão do técnico é à Fundação Ángel Soler Daniel, de Barcelona.

MESSI DOARÁ um milhão de euros a hospitais de Barcelona e um milhão de euros a hospitais de Rosário, cidade argentina onde nasceu. As instituições beneficiadas já anteciparam que o investimento será na aquisição de novos equipamentos médicos, de respiradores artificiais e de medicamentos para o combate direto e eficaz contra a epidemia. Na campanha de Guardiola, para depósitos bancários, só haviam sido arrecadados 33 mil euros.

REDUÇÃO – Um dia depois de se reunir com jogadores e jogadoras do Barcelona, o presidente Josep Maria Bartomeu marcou nova reunião on-line para esta quarta (25), a fim de que a redução salarial seja confirmada, enquanto pendurar a paralisação, devido à epidemia do coronavírus. Além do futebol, masculino e feminino, a medida se estenderá ao basquete, futsal, handebol e hóquei em patins, voltando depois ao normal.

BRASILEIRO – Por iniciativa do ex-meia e atual diretor Juninho Pernambucano, o Lyon foi o primeiro clube da França a fazer acerto com os jogadores para a redução de salário. Juninho, de 45 anos, ex-Vasco, foi sete vezes consecutivas campeão francês, com 344 jogos e 100 gols, de 2001 a 2009, e voltou ao clube como diretor, a convite do presidente Jean-Marie Aulas, de 71 anos, dono do clube desde 1999. Aulas é um dos homens mais ricos da França.

QUARENTENA – Chega ao fim hoje (25) a quarentena dos jogadores da Juventus, que passarão a fazer exercícios em casa, orientados pelos preparadores do clube. A maioria está fora da Itália: Cristiano Ronaldo em Portugal; Higuain na Argentina, onde acompanha o tratamento de câncer da mãe; Khedira na Alemanha e Douglas Costa no Brasil. Quando voltarem, terão que ficar mais duas semanas em quarentena, antes do reinício dos treinos.

AUMENTO – A preocupação voltou na Itália, com o aumento de 8,2%, em um só dia, registrando ontem (24) 743 mortes e 69.180 infectados, entre eles Dybala, Rugani e Matuidi, jogadores da Juventus, isolados e em tratamento. Os jogadores espanhóis também não esconderam a preocupação com a morte de 514 pessoas em um dia, elevando o total para 2.700, além de mais de 40 mil infectados no último boletim da noite de ontem (24).

CHOCANTE – A TV espanhola mostrou chocantes no início da madrugada de ontem (24), em vários asilos do país, com homens e mulheres de idade a partir de 80 anos, encontrados mortos em suas camas. As autoridades sanitárias apuraram que vários funcionários abandonaram os postos de trabalho e os idosos foram morrendo por falta de alimentação. Uma investigação rigorosa vai apurar a omissão dos responsáveis e puni-los com rigor.

Foto: mediotiempo.com