Fotos: site oficial do Barcelona

Messi fez o gol da vitória (1 x 0, sem brilho algum) que manteve o Barcelona na liderança isolada com 54 pontos, mas o motivo  de maior comentário, após o jogo da noite deste sábado (16), diante de 67.435 torcedores, no Camp Nou, foi o fato de o craque argentino ter perdido o vigésimo pênalti em 68 jogos de sua carreira de tanto sucesso. Dos 20 pênaltis perdidos por Messi, 12 foram em 62 jogos do Campeonato Espanhol, que disputa desde 2003-04, então aos 16 anos, o mais jovem em jogos oficiais.

MESMO CANTO – Por coincidência, os dois pênaltis deste sábado (16) foram marcados pelo árbitro Martinez Munuera, do colegiado de árbitros de Valencia, no final de cada tempo. O primeiro, aos 42, do zagueiro Michel, derrubando o zagueiro Piqué, foi convertido no canto esquerdo, com o goleiro Masip quase tocando na bola. O segundo, aos 43, do zagueiro Kiko Olivas no meia Philippe Coutinho, o goleiro defendeu com as mãos, após um belo e consciente salto no canto esquerdo. 

ARTILHEIRO – Mesmo com apenas um gol no jogo, Messi manteve a artilharia do campeonato com 22. O Barcelona tem o ataque mais positivo (61) e a segunda defesa menos vazada (23). Messi foi também o único do Barcelona advertido com cartão amarelo, ao reclamar (com razão) de falta dura que sofreu por trás do zagueiro Michel. Barcelona 1 x 0 Valladolid registrou 30 faltas (12 do Barcelona, que acertou mais 288 passes, 632 x 344).

POUPADOS – Pensando no jogo da próxima terça (19), na França, com o Lyon, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, o técnico Ernesto Valverde poupou o croata Ivan Rakitic, que só entrou aos 30 do segundo tempo; o uruguaio Luis Suarez, que substituiu o estreante Boateng, aos 13 do segundo tempo, e Philippe Coutinho, que entrou no lugar do francês Dembélé, aos 20 do segundo tempo. 

O GOLEIRO – Jordi Masip, o goleiro nascido em Sabadell, província de Barcelona e cidade pioneira da revolução industrial do país, queria a camisa de Messi para colocar em moldura como lembrança do pênalti que defendeu do craque cinco vezes melhor do mundo, mas não conseguiu. O primeiro abraço dele após o jogo foi em Messi e o segundo no capitão Piqué. Jordi Masip tem 30 anos, 1,80m, formou-se na base do Barcelona aos 15 anos em 2004 e está no Valladolid desde 2017.

REBAIXAMENTO – Faltando catorze rodadas para o final, Ronaldo Fenômeno já não esconde a preocupação com o rebaixamento do Valladolid – clube que comprou há seis meses – à segunda divisão na temporada 2019-2020. O time é décimo quinto, após sofrer a décima derrota e tem saldo negativo de dez gols (19 x 29). Muito gordo, Ronaldo assistiu da tribuna, ao lado do presidente Josep Maria Bartomeu e de outros convidados do Barcelona.

ATLÉTICO TAMBÉM 1 x 0 – O Atlético de Madrid pernoita na vice-liderança com 47 pontos, após vencer (1 x 0) neste sábado (16) o Rayo Vallecano, no acanhado estádio Teresa Riveros, no subúrbio madrilenho de Vallecas, que recebeu a lotação máxima de 14.505 torcedores. O Real Madrid, com 45 pontos, é favorito do jogo deste domingo (17) com o Girona e deve recuperar o segundo lugar, no estádio Santiago Bernabeu, em Madrid.

QUINTO ARTILHEIRO – Com o gol da vitória que marcou aos 29 do segundo tempo, o francês Antoine Griezmann tornou-se o quinto maior artilheiro do Atlético de Madrid, com 129 gols, ultrapassando o espanhol Fernando Torres, com 128. Griezmann precisa de mais 44 gols para ser o maior artilheiro da história do clube com 173, superando o espanhol Luis Aragonês – 1938-2014 -, que fez 173 gols entre 1964 e 1974, quando encerrou a carreira, antes de se tornar técnico do clube e da seleção.

CARTÃO AMARELO – Em seu primeiro jogo no comando do time, três dias após renovar contrato com o Atlético de Madrid, que comanda desde 2011, o técnico argentino Diego Simeone foi advertido com cartão amarelo pelo árbitro Gil Manzano, por se exceder em reclamações. Em campo, o único amarelo foi para o zagueiro uruguaio José Gimenez, do Atlético, por falta dura no tornozelo do atacante Embarba. 

NOME DO JOGO – O Atlético venceu sem fazer boa apresentação e foi salvo pelas grandes defesas do goleiro esloveno Jan Oblak, o melhor do jogo. Ao sair, Oblak ganhou demorado abraço do técnico Diego Simeone. O jogo marcou também a volta do lateral-esquerdo Filipe Luis, do início ao fim, e do atacante Diego Costa, que entrou aos 15 do segundo tempo no lugar de Vitolo. O Atlético joga quarta (20) com a Juventus, no estádio Wanda Metropolitano, em Madrid, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.