Escolha uma Página

Lionel Messi, capitão da seleção argentina, saiu muito irritado do gramado da Bombonera, estádio do Boca Juniors, depois do 1 x 1 da noite de ontem (12) com o Paraguai, em que a Argentina perdeu os 100% de aproveitamento na terceira rodada das eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, com certeza a última de sua brilhante carreira, em que tentará o título que lhe falta. O árbitro paulista Raphael Claus anulou o gol, que poderia ser o da vitória, aos 13 do segundo tempo, por falta que não houve.

GOL DE PÊNALTI – Os argentinos também questionaram a marcação do pênalti, do zagueiro Martinez Quarta no meia Almiron, aos 22 minutos, que resultou no gol paraguaio, convertido pelo atacante Ángel Romero, que joga no Racing de Buenos Aires. Ele é o estrangeiro que mais jogos fez pelo Corinthians (222), e o maior artilheiro da Arena Corinthians, com 27 gols, entre 2014 e 2019. O meia Nicolás Gonzalez marcou o gol da Argentina aos 41, completando de cabeça o escanteio do meia Lo Celso.

ARGENTINA –Armani (River), Montiel (River), Martinez Quarta (Fiorentina), Otamendi (Benfica) e Paredes (PSG); Palacios (Bologna) depois Lo Celso (Tottenham), De Paul (Udinese) depois Lucas Alario (Bayer Leverkusen) e Nicolás Gonzalez (Comunicaciones de Chile); Messi (Barcelona), Lautaro Martinez (Inter de Milão) depois Nicolás Dominguez (Bologna) e Lucas Ocampos (Sevilha). Técnico – Lionel Scaloni, de 42 anos, argentino de Rosário, onde também nasceu Messi.

PARAGUAI – Antony Silva (Nacional Uruguai), Robert Rojas (River), Gustavo Gomez (Palmeiras), Balbuena (West Ham) e Junior Alonso (Atlético Mineiro); Ángel Cardoso (Cerro Porteño), Enzo Gimenez (Cerro Porteño), Villasanti (Cerro Porteño) depois Jorge Morel (Racing) e Almiron (Newcastle); Ángel Romero (Racing) e Dario Lezcano (Juarez, do México) depois Hernan Perez (Al-Ahli). Técnico – Eduardo Berizzo, de 51 anos, ex-atacante, nascido em Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, a 336 km de Porto Alegre.

Foto: Diário de Canoas