O Vasco decidiu efetivar seu meia Ramon como técnico, depois de um ano como assistente técnico. Mas, o que poucos sabem: o vice-presidente José Luis Moreira aceitou a sugestão de Antonio Lopes para que Ramon fosse promovido: “O Ramon conhece o clube, é competente, merece a chance”. De volta como coordenador, Lopes foi técnico campeão brasileiro de 97 e da Libertadores de 98, tendo Ramon como uma das grandes figuras do time”.

OUTROS NOMES – José Luís Moreira joga limpo e aberto, sem nada a esconder, gosta de franqueza, olho no olho. Ele usou o substantivo convencido, ao reconhecer os argumentos de Lopes, sem negar que antes de pensar em efetivar Ramon, conversou com Paulo Bonamigo, técnico do Boavista, e quando esteve em Portugal, com o lisboeta José Morais, treinador de 54 anos, cuja pretensão salarial estava muito acima da realidade do Vasco. 

RAMON E O VASCO – Mineiro de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, 47 anos, canceriano de 30 de junho de 1972, Ramon Menezes começou campeão no Cruzeiro, no Bahia e no Vitória, antes de três passagens vitoriosas pelo Vasco, entre 2000 e 2006, com 247 jogos e 91 gols: campeão brasileiro de 97; Taça Guanabara e Carioca de 98; Taça Rio de 98 e 99; da Libertadores 98 e do Rio São Paulo 99. Melhor do Vasco na temporada 2002.

VOLTA FORTE – Ramon voltou ao Vasco em 27 de dezembro de 2018 como assistente da comissão técnica e começou a trabalhar em janeiro de 2019. Nesta segunda, 30 de março de 2020, foi efetivado como técnico e mandou a primeira mensagem aos torcedores: “Podem esperar de mim, muito mais do que fui como jogador. Vou trabalhar com toda a vontade de acertar e de ganhar jogos e títulos, como fiz quando estava em campo suando a camisa”.

Foto: Carlos Gregório Júnior/Vasco