No segundo jogo com mais gols do Campeonato Brasileiro de 2020, depois de Bahia 3 x 5 Flamengo, o empate em 3 x 3 da noite de ontem (9), no Estádio Olímpico de Goiânia, nada valeu para Goiás e Coritiba, que se alternaram em raros acertos e muitas falhas. O Goiás continua na lanterna, com 5 pontos em 7 jogos – 1 vitória, 4 derrotas, 2 empates, saldo negativo de três gols (10 a 13) – e o Coritiba, décimo sexto com 8 pontos em 9 jogos – 2 vitórias, 5 derrotas, 2 empates, saldo negativo de quatro gols (7 a 11) – podendo voltar ao rebaixamento, se o Grêmio, com 8 pontos, ao menos empatar hoje (10), em Salvador, com o Bahia.

BEM DIVIDIDO – O visitante Coritiba foi um pouco mais efetivo no primeiro tempo e mereceu sair para o intervalo com 2 x 1. Bela assistência de cabeça de Sassá para Robson abrir o placar aos 13 minutos, e o segundo gol foi de William Mateus aos 37. O lateral Willliam fez pênalti aos 44 e Rafael Moura bateu forte para marcar o primeiro do Goiás, que chegou ao empate aos 34 do segundo tempo com o gol do meia chileno Ignacio Jara, e à virada, aos 36, com o gol contra do zagueiro Sabino. Menos mal que ele se recuperou e empatou aos 48, convertendo o pênalti que Rafael Vaz cometeu com o braço.

DUAS EXPULSÕES – O árbitro Caio Augusto Vieira, de 38 anos, da Federação do Rio Grande do Norte, aplicou quatro cartões amarelos em jogadores do Goiás – Edilson, Figueira, Mike e Victor Andrade – e em Hugo Moura e Bueno, do Coritiba. O árbitro também acertou nas expulsões de Filemon, zagueiro do Coritiba, por agredir o atacante Rafael Moura, e do zagueiro Rafael Vaz, do Goiás, pelo pênalti que cometeu com o braço.

GOIÁS – Tadeu, Edilson (Pintado), David Duarte, Rafael Vaz e Jeferson; Gilberto, Breno (Figueira) e Daniel Bessa (Ignacio Jara); Vinícius (Keko), Rafael Moura e Mike (Victor Andrade). Técnico – Thiago Larghi. O próximo jogo será com o Internacional, domingo (13), no Estádio Olímpico de Goiânia.CORITIBA – Wilson, Jonathan, Filemon, Sabino e William Mateus; Hugo Moura (Luis Henrique), Sales (Galdezani) e Bueno (Rodolfo); Igor Jesus, Sassá (Natanael) e Robson (Giovanni Augusto). Técnico – Jorge de Amorim Campos (Jorginho). O próximo jogo é o clássico com o Athletico Paranaense, sábado (12), na Arena da Baixada, em Curitiba.

Foto: Tribunal do Paraná