Depois de cinco jogos sem ganhar – maior seca dos tempos de Tite -, nada melhor que a indefesa Coreia do Sul, posição 48 no ranking da FIFA, para a seleção terminar 2019 com uma vitória, que pouco acrescenta ao ano que antecede as eliminatórias da Copa 2022. A Copa América, considerado o grande feito, não pode nem deve servir como parâmetro.

QUALIDADE – Com o futebol entregue a intermediários que só visam o lucro, a CBF precisa repensar na qualidade técnica dos próximos adversários. De preferência, com nível mais elevado que Catar, Honduras, Senegal, Nigéria e, bom repetir, a indefesa Coreia do Sul. Os europeus dominaram as últimas quatro Copas e terão preparo mais forte para 2022.

GUINADA – Sair da mesmice e dar uma guinada, é tudo o que a seleção precisa. O padrão de jogo não melhora e o nível está em queda livre. Pior que não despertar mais interesse, é estar sendo vista com indiferença. A maioria dos torcedores deixou de ter  entusiasmo, por falta de confiança em uma seleção que perdeu o crédito.

CINCO ANOS – A volta de um gol de falta, o que Philippe Coutinho marcou aos 36 do primeiro tempo, nos 3 x 0 de ontem (19), em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, foi cinco anos e dois meses depois do que Neymar havia feito, em 5 de setembro de 2014, no 1 x 0 sobre a Colômbia, no retorno de Dunga, após a eliminação pela Holanda em 2010.

BOM LEMBRAR – 1 x 0 na Colômbia foi a primeira vitória após a eliminação em 2014 – os 7 x 1 da Alemanha e os 3 x 0 da Holanda na decisão do terceiro lugar -, com Neymar então fazendo seu nono gol de falta, que sofreu de Juan Cuadrado, expulso no lance, e chegando aos 36 gols em 54 jogos pela seleção.

MARÇO A NOVEMBRO – A seleção só volta a entrar em campo em março de 2020, no início das eliminatórias para a Copa de 2022, que se estenderão até novembro de 2021. Dentro do formato anterior, 10 seleções da América do Sul disputarão quatro vagas e a que ficar em quinto ainda terá chance extra, na repescagem, com uma seleção da Oceania.

SORTEIO – As 10 seleções sul-americanas se enfrentarão em jogos de ida e volta. A Conmebol confirmou ontem (19) que o sorteio será dia 17 de dezembro, na sede de Luque, no Paraguai. Pela primeira vez, a Copa do Mundo não será em junho e julho, como aconteceu desde a primeira em 1930

ÚLTIMA COM 32 – A Copa de 2022, última com 32 seleções, será disputada de 21 de novembro a 18 de dezembro, devido ao calor insuportável em junho e julho, no Catar, onde a temperatura é em torno de 50 graus! A Copa de 2026 será disputada, pela primeira vez, em três países: México, Canadá e Estados Unidos. A FIFA vai correr a sacolinha: 48 seleções!!!