Escolha uma Página

O NAPOLI inaugurou a estátua de Diego Maradona neste último domingo (28) de novembro, três dias depois de um ano da morte do craque argentino, no estádio que se chamava San Paolo desde a inauguração em 1960 e foi rebatizado com seu nome em dezembro de 2020, um mês após sua morte em 25 de novembro de 2020. Convidado especial, o presidente da FIFA Gianni Infantino, advogado suíço-italiano de 51 anos, participou da homenagem.

DIEGO MARADONA é o maior ídolo do Napoli, depois de 259 jogos, 115 gols e 31 assistências, entre 84-85 e 90-91, quando liderou o time bicampeão italiano em 86-87 e 89-90, únicos títulos de 95 anos da história do clube, com a participação do volante Alemão, ex-Botafogo, e do atacante Careca, ex-São Paulo. O técnico da equipe atual, Luciano Spalletti, de 62 anos, disse que “Maradona representa para o Napoli o mesmo que Pelé para o futebol mundial”.

COM ATUAÇÃO DE GALA, depois da homenagem, o Napoli goleou a Lazio de Roma por 4 x 0, com o gol do polonês Zielinski, dois gols do belga Dries Mertens e o do espanhol Fabian Ruiz fechando a goleada. Foi a 11ª vitória em 14 rodadas e o Napoli lidera o campeonato 2021-22 com 35 pontos, mais três que o vice-líder Milan, que levou a virada (3 x 1) do Sassuolo e chegou ao terceiro jogo sem vitória.

O TÉCNICO PORTUGUÊS José Mourinho, que faz campanha discreta na Roma, em 5º lugar com 25 pontos, conseguiu boa vitória no Estádio Olímpico de Roma sobre o Torino por 1 x 0, gol do atacante inglês Tammy Abraham. O goleiro Rui Patrício, também titular da seleção portuguesa, garantiu a vitória da Roma no 2º tempo, quando o Torino pressionou muito, ao completar o terceiro jogo consecutivo sem sofrer gol.

OUTRO TÉCNICO PORTUGUÊS com boa vitória neste último domingo (28) de novembro foi Pedro Martins, de 51 anos, natural de Santa Maria da Feira, com a virada (2 x 1) sobre o Volos, mantendo o atual bicampeão Olympiakos na liderança do Campeonato Grego, com 29 pontos, seis a mais que o vice-líder AEK, da capital Atenas. Na 6ª vitória consecutiva, os destaques foram o meia paraense Rony Lopes e o ponta paraibano Tiquinho Soares, ex-Porto.

 Foto: REUTERS/Ciro De Luca