Um dia depois de ter participado dos cinco gols do PSG, na vitória (5 x 0) sobre o turco Galatasaray, que confirmou o campeão francês em primeiro lugar na fase de grupos da Champions, Neymar reabriu a segunda frente judicial contra o Barcelona. Ele volta a acusar o ex-clube de má-fé e a cobrar parte do salário, antes de sua saída para a França.

TRÊS MILHÕES – Na ação, movida com a orientação de seu pai e procurador, o advogado de Neymar faz referência a um valor próximo de três milhões de euros – o equivalente a R$14 milhões, ao câmbio atual -, e além de repetir a acusação de que o Barcelona agiu de má-fé, também acusa o ex-clube de lhe aplicar represálias por ter assinado contrato com o PSG.

ESTRANHEZA – Os dirigentes do FC Barcelona reagiram com estranheza à segunda ação de seu ex-jogador, garantindo que não ficou sem receber ao sair para a França, incluída a parte do bônus que insiste em cobrar pela renovação do último contrato. Neymar fez 105 gols em 186 jogos pelo Barcelona, entre 2013 e 2017.

CRÍTICAS – Durante e após o período do litígio com o Barcelona, Neymar recebeu críticas dos principais jornais esportivos de Barcelona, entre eles Mundo Deportivo, cujo analista Angel Perez escreveu: “Seu papel como estrela internacional atraiu os holofotes desde que era jovem, mas, à medida que sua carreira progredia, sua fama aumentava mais por problemas de justiça do que pelo sucesso nos gramados”.

REAÇÃO – O mesmo jornalista escreveu mais em sua coluna: “Contusões, reclamações, tumultos com agressões, como o soco na cara de um torcedor no estádio do seu próprio clube, e a punição da Uefa, após agredir o árbitro depois do jogo com o Manchester United, além do problema do assédio sexual em Paris, mancharam muito sua imagem”.

O BARCELONA reagiu à primeira ação de Neymar,  em 2017, ao entrar com ação na Justiça do Trabalho da Espanha, reivindicando 8 milhões e 500 mil euros (R$37 milhões), devido à quebra de contrato do ex-jogador. Em 1 de fevereiro de 2017, o PSG pagou 220 milhões de euros (quase R$900 milhões) ao Barcelona pela multa rescisória.

O JORNALISTA espanhol lembrou também que Neymar teve problema com o clube francês e passou a treinar à parte, após se atrasar na volta de viagem ao Brasil, o que causou muita irritação no presidente do PSG, que passou o caso para o diretor brasileiro Leonardo Araújo. Desde 2017, Neymar fez 68 jogos e marcou 58 gols pelo campeão francês.

Foto: Sportbuzz