Neymar fez o único gol da final da Copa da França 2019-20, que o PSG conquistou pela décima terceira vez, ao vencer o Saint-Étienne, na noite de ontem (24), tornando-se o segundo brasileiro com mais títulos (23), depois do lateral Daniel Alves, que ganhou 40. Foi o décimo oitavo jogo, das 37 finais, em que Neymar marcou pelo menos um gol, totalizando 21 gols em decisões em jogo único. O atacante se superou em títulos, ganhando o sétimo pelo PSG, um a mais do que havia conseguido no Santos.

O GOL DE NEYMAR, aos 14 do primeiro tempo, foi aproveitando a rebatida do goleiro francês Jessy Moulin, de 34 anos, 1,86m, após chute forte de Mbappé, atingido no tornozelo esquerdo, 12 minutos depois, por um carrinho desleal do lateral Loic Perrin, expulso, no ato, pelo árbitro Amaury Delerue, de 43 anos, estreante em decisão. Mbappé fará exame hoje (25) e pode até nem se recuperar para o jogo de 12 de agosto com a Atalanta, valendo vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões da Europa. Bom lembrar: Mbappé, hoje aos 21 anos, foi a revelação da Copa do Mundo de 2018.

OS 13 DE NEYMAR – No Santos, entre 2009 e 2013, Neymar fez 138 gols em 230 jogos – 1.66 por jogo -, e ganhou seis títulos: três de campeão paulista, Copa do Brasil, Libertadores e Recopa Sul-Americana. Neymar marcou seu gol 71 em 82 jogos pelo PSG – 1.15 por jogo -, desde 2017, e ganhou o sétimo título: três de campeão francês, Copa da Liga Francesa, Supercopa da França e a segunda Copa da França, na noite de ontem (24), no Stade de France, em Saint Denis, município a 10 km de Paris.

PRESIDENTE da República desde 2017,Emmanuel Jean-Michel Macron, de 42 anos, foi ao gramado, antes do jogo, ao lado de Noel Le Graet, de 78 anos, presidente da Federação Francesa de Futebol desde junho de 2011, ambos de máscara e sem aperto de mão, cumprimentar os jogadores, inclusive os reservas, que também se perfilaram, e os árbitros. Macron é um entusiasta dofutebol, fã de carteirinha do ex-meia Didier Deschamps, terceiro campeão do mundo como jogador e técnico em 1998 e 2018.

PREOCUPAÇÃO – O presidente Macron voltou ao gramado para entregar as medalhas aos campeões do PSG, e dedicou atenção especial a Mbappé. Durante a conversa, ao vivo, pela televisão, o atacante revelou: “A pancada foi muito forte, estou com muita dor, mas acho que não quebrou, não”, referindo-se à entrada dura, no carrinho do lateral-esquerdo Loic Perrin, de 34 anos, expulso em seu  último jogo, após 17 anos de carreira, em que só vestiu a camisa do Saint-Étienne (467 jogos, 30 gols).

DUAS DECISÕES – A Copa da França, disputada desde 1917, é a competição mais antiga do país, e desde 1999 o campeão garante vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa da temporada seguinte. O PSG terá duas decisões em duas semanas: dia 31, a da Copa da Liga Francesa, em jogo único com o Lyon, e dia 12 de agosto, a da vaga para as quartas de final da Liga dos Campeões 2019-2020, também em jogo único, em Lisboa, com a italiana Atalanta, de Bergamo.

 OUTROS DESTAQUES BRASILEIROS

Antes de Neymar, o mais caro do mundo – 222 milhões de euros, quase R$900 milhões, da multa rescisória que o PSG pagou ao Barcelona -, dois brasileiros se destacaram na França, sendo o principal o meia Juninho Pernambucano, único sete vezes consecutivas campeão no Lyon, entre 2001-2002 e 2007-2008, com 100 gols em 344 jogos, de 2001 a 2009. Juninho saiu do Vasco, após 56 gols em 295 jogos, entre 1995 e 2001, e voltou há dois anos ao Lyon como diretor-executivo.

O outro destaque foi o atacante Sonny Anderson, goiano de Goiatuba, três vezes artilheiro do campeonato pelo Mônaco, que defendeu de 94 a 97, com 67 gols em 117 jogos, depois de ter feito parte do elenco do Vasco, campeão brasileiro de 1989. Na história do campeonato francês, desde 1932-33, o maior artilheiro foi Delio Onnis, italiano que se naturalizou argentino, com 300 gols, entre 1971 e 1986, pelo Reims, Mônaco e Toulon. 

DESDE QUE O Fundo de Investimento do Catar contratou Neymar, o PSG ganhou sete dos nove títulos, os três últimos com Neymar, que ainda não conseguiu ser artilheiro do campeonato. Bom lembrar: o campeonato de 2019-20 foi encerrado pela Federação Francesa, devido à pandemia do novo coronavírus, quando o PSG estava 12 pontos à frente do Olympique de Marselha, proclamando campeão o time de Neymar, Thiago Silva e Marquinhos. O técnico do PSG é o alemão Thomas Tuchel, de 46 anos.

Foto: R7 Esporte, REUTERS/Christian Hartmann, twitter.com/PSG_espanol, Archyde, Reprodução/Instagram