Em sua primeira página desta terça (4), L’Equipe, principal jornal esportivo francês destaca: “Face à la histoire” (Enfrentando a história”, e publica declaração que resume bem a motivação de Neymar para o jogo decisivo com o Manchester City, em que o PSG tenta vaga para a segunda final consecutiva da Liga dos Campeões da Europa: “Quero a vitória, nem que seja morto”. O PSG precisa vencer por dois gols, depois de perder por 2 x 1 o primeiro jogo na semana passada em Paris.

UM MÁGICO – O argentino Maurício Pochettino, de 49 anos, há 12 na Europa, foi zagueiro do PSG entre 2001 e 2003, assumiu como técnico em janeiro de 2021, e diz que “Neymar é um mágico do futebol, do mesmo nível de Ronaldo Gaúcho e Maradona”. No jogo desta terça (4) com o City, ele completa 539 jogos, desde 2009, quando parou de jogar e se tornou técnico do Espanyol, de Barcelona. Só horas antes do jogo, o técnico saberá se poderá contar com o atacante Mbappé.

VALIOSOS – A outra vaga na final do sábado, 29 de maio, no Estádio Olímpico de Istambul, maior cidade da Turquia e quarta maior do mundo, será decidida amanhã (5), no Stamford Bridge, em Londres, onde o Chelsea terá a vantagem do 0 x 0, após o 1 x 1 do jogo de ida com o Real Madrid. Os quatro clubes mais valiosos da Liga dos Campeões 2021 tiveram a merecida recompensa de chegar à semifinal, depois do alto investimento que fizeram nas últimas temporadas.

CITY E PSG, que decidem a primeira vaga na final, foram os maiores investidores e têm quatro jogadores entre os mais valorizados: Neymar e Mbappé, os primeiros, e Sterling, em sexto, e De Bruyne, em nono. O City comprou do Benfica o zagueiro Ruben Dias e o lateral João Cancelo pelo equivalente a R$700 milhões, após investir R$300 milhões no meia francês Mahrez, que fez o gol da vitória, em bela cobrança de falta, no jogo de ida em Paris. São os milhões dos Emirados Árabes.

NEYMAR continua como o mais caro do mundo, depois que o Fundo de Investimento do Catar pagou 222 milhões de euros – quase R$900 milhões – ao Barcelona pela multa rescisória. Mbappé, revelação e campeão da Copa do Mundo de 2018, custou quase R$700 milhões, ao sair do Mônaco. O PSG já havia gastado R$200 milhões em 2015 para ter o argentino Di Maria, que era do Real Madrid, e R$300 milhões em 2020 pelo atacante Mauro Icardi, da Inter de Milão. Uma vaga de muitos milhões!

Foto: Twitter