Escolha uma Página

Com os três gols dos 4 x 2 da noite de ontem (13) sobre o Peru, no Estádio Nacional de Lima, Neymar passou a ser o segundo artilheiro da seleção, com 64 gols em 102 jogos, ultrapassando Ronaldo Fenômeno, que marcou 62 gols em 98 jogos. Pelé, como sempre o primeiro, fez 77 gols em 92 jogos. Neymar fez 9 gols em jogos das eliminatórias, e as únicas seleções em que ainda não marcou, são as da Venezuela e do Uruguai. Brasil e Argentina têm 6 pontos, mas o Brasil é líder pelo saldo de gols (7 a 2).

OS ARTILHEIROS – Pelé, 77 gols. Neymar, 64. Ronaldo Fenômeno, 62; Romário, 55; Zico, 48; Jairzinho, 44; Rivelino, 43; Bebeto, 39, e com 37 gols, Rivaldo e Leônidas da Silva, primeiro artilheiro brasileiro em Copa do Mundo, com 8 gols na Copa de 1938.

MEIO SÉCULO – O Brasil voltou a vencer o Peru por 4 x 2, depois de 50 anos. O placar só havia sido registrado no domingo, 14 de junho de 1970, nas quartas de final da nona Copa do Mundo, em que o Brasil, dirigido por Zagalo, eliminou o Peru, treinado por Didi, no confronto de bicampeões mundiais, titulares da seleção em todos os jogos das Copas de 58 e 62. 4 x 2 da noite de ontem (13), no Estádio Nacional de Lima, foi o primeiro jogo de eliminatórias em que o Brasil fez mais de três gols no Peru.

DUAS VIRADAS – O Peru fez 1 x 0 logo aos 6 minutos, com o gol do meia-atacante André Carrrilo com chute forte da entrada da área, e Neymar empatou aos 28, cobrando pênalti que sofreu de Yotun, ao puxá-lo pela camisa. No segundo tempo, o volante Renato Tapia fez Peru 2 x 1, aos 14, contando com o desvio da bola no zagueiro Rodrigo Caio. O Brasil empatou pela segunda vez, aos 20, com o terceiro gol de Richarlison em seis jogos, finalizando livre, quase sobre a linha do gol.

MAIS DOIS – Neymar voltou a desempatar aos 38, ao converter sem força, mas com boa colocação, o pênalti que sofreu aos 38 minutos do zagueiro Carlos Zambrano, e fechou os 4 x 2, já nos acréscimos, aos 49, aproveitando a volta da bola no chute de Everton Ribeiro na trave. Pouco depois da nova saída, o árbitro Julio Bascuñan, da Federação Chilena, apitou o final. Ele foi correto na aplicação dos cartões e na expulsão de Carlos Zambrano, que atingiu o rosto de Neymar com o braço.

WEVERTON, Danilo, Marquinhos (Rodrigo Caio), Tiago Silva (cap) e Renan Lodi (Alex Telles); Casemiro, Douglas Luiz e Philippe Coutinho (Everton Ribeiro); Richarlison, Firmino (Everton) e Neymar. No jogo 50 do técnico Tite, a vitória 36, com o saldo de 90 gols (109 a 19). A décima segunda vitória em 14 jogos, desde a estreia, por coincidência em eliminatórias, em que a seleção venceu (3 x 0) o Equador, dia 1 de setembro de 2016, no estádio Atahualpa, em Quito.

PRÓXIMOS – A seleção brasileira disputará os próximos jogos das eliminatórias em novembro, dia 12, com a Venezuela, única seleção da América do Sul que nunca se classificou para a Copa do Mundo, e dia 17, com o Uruguai, no estádio Centenário, em Montevidéu. 

Foto: Jornal VS