Não foi só pela grande atuação e pelo gol nos 2 x 0 da noite desta quarta (11), no Parque dos Príncipes, vazio, que Neymar brilhou na volta do PSG às quartas de final da Liga dos Campeões, após quatro anos, mas pelo gol na derrota (2 x 1) no jogo de ida com o Borussia Dortmund, na Alemanha. Um gol que fez toda a diferença. O PSG só precisaria de 1 x 0 no jogo de volta e acabou ganhando por 2 x 0, com o gol do lateral espanhol Juan Bernat.

DECIDIDO – O técnico alemão Thomas Tuchel, de 46 anos, fez o PSG pressionar o Dortmund, seu ex-time, no próprio campo, o que ajudou na definição do placar e da vaga para as quartas de final, ainda no primeiro tempo. Neymar foi duramente atingido, antes do primeiro minuto, pelo meia Emre Can, alemão de 26 anos, saiu, foi atendido e voltou mancando, mas fez o gol aos 28, de cabeça, após escanteio do argentino Di Maria.

TABELA – Uma linda tabela dos espanhóis Pablo Sarabia e Juan Bernat, permitiu a Bernat fazer o segundo gol no início dos acréscimos do segundo tempo, aos 47, o gol da classificação do PSG, que defende desde 2018, comprado do Bayern de Munique. Juan Bernat é de Cullera, província da cidade praiana de Valencia, tem 27 anos, 1,70m, e passou pelas cinco categorias da seleção da Espanha, desde a sub-16.

EXPULSÃO – O meia Emre Can foi bem expulso pelo árbitro Anthony Taylor, inglês de 41 anos, ao cometer a segunda falta dura em Neymar, na metade do segundo tempo. Bem antes da chegada do ônibus, 4.500 torcedores do PSG já faziam festa na entrada do Parque dos Príncipes, com cânticos e fogos coloridos. Os jogadores imitaram os gestos que os do Borussia fizeram no jogo de ida, em Dortmund, retribuindo a provocação alemã.

PSG – Keylor Navas, Kehrer, Marquinhos, Kimpembe e Bernat; Gueye, Paredes (Kouassi), Sarabia (Mbappé) e Di Maria (Kurzawa); Cavani e Neymar. Os goleiros Keylor Navas, costa-riquenho de 33 anos, 1,85m, e Roman Burki, suíço de 29 anos, 1,88m, tiveram boa participação, sobretudo o do time alemão, com defesas consideradas impossíveis, como em cabeçada do uruguaio Edinson Cavani, maior artilheiro do PSG.

Foto: Gazeta Esportiva