Mesmo sem fazer gol, Neymar teve atuação destacada na vitória da noite de ontem (7) sobre o Bayern por 3 x 2, em Munique, dando ao PSG a vantagem de se classificar para as semifinais, ainda que perca o jogo de volta, por 1 x 0 ou 2 x 1, na próxima terça (13), em Paris. Ele deu assistências preciosas para o 1 x 0 de Mbappé, logo aos 2 minutos, e os 2 x 0 de Marquinhos aos 28, tornando-se líder como garçom de luxo, com 26 assistências, desde 2014-2015, quando estreou no campeão francês.

DUAS FALHAS – Antes da saída para o intervalo, o Bayern fez o primeiro gol, aos 38, em cabeçada de Choupo-Moting, após cruzamento sob medida do lateral Pavard. No segundo tempo, Thomas Muller empatou com outro gol de cabeça, aos 16, depois da falta cobrada por Kimmich. Mas, oito minutos depois, aos 24, com assistência do argentino Di Maria, Mbappé deu a vitória (3 x 2) ao PSG, com o sétimo gol em mata-mata, e chegou aos 32 gols em 38 jogos na temporada 2020-2021.

TORRADA DA VOVÓ – Na análise da vitória do PSG, o diário esportivo espanhol Marca escreveu: “Se fosse um videogame e pudéssemos ter todos os jogadores saudáveis, e com a seta para cima, quem seria o melhor jogador do mundo? Partindo disso, Neymar pode reivindicar a posição. É um jogador que desequilibra, inteligente como poucos e com visão de jogo excepcional. Mas o problema dele é igual ao da torrada francesa da vovó, que é uma delícia, mas ela só faz uma semana por ano”… 

SUSPENSO 2 JOGOS – Pela expulsão de campo no jogo do último sábado (3) com o Lille, que tirou o PSG da liderança (66 a 63 pontos), Neymar foi suspenso por dois jogos do campeonato, com Estrasburgo e Saint-Étienne. Bom dizer: ao contrário do futebol do Brasil, onde há sempre um jeitinho para evitar punição aos infratores, no futebol da França, como de resto em toda a Europa, não existe a imoralidade do efeito suspensivo. O julgamento é rápido. E sem direito a recurso. 

LEWANDOWSKI – O artilheiro do Bayern antecipou ontem (7) que não se sente em condições de voltar ao time no jogo em Paris, em virtude da entorse que sofreu no joelho no jogo com Andorra pelas eliminatórias para a Copa do Mundo. Lewandowski foi substituído pelo camaronês Choupo-Moting, que fez o primeiro gol e foi um dos quatro advertidos com cartão amarelo pelo árbitro espanhol Mateu Lahoz. Boateng, Lucas Hernandez e Kimmich, os outros. Do PSG, apenas o meia alemão Julian Draxler.

NEVE E ZERO GRAU – Bayern 2 x 3 PSG, na Allianz Arena de Munique, foi sob neve e temperatura de zero grau, o que obrigou a maioria dos jogadores, especialmente do time francês, a colocar um agasalho para proteger o peito. Munique é a metrópole mais fria da Alemanha e também a que mais neva, além de janeiro e fevereiro, meses com temperatura sempre abaixo de zero. Impossível esquecer 1974, no Hotel Schwarzwald (Floresta negra, em alemão), com sua piscina de água tépida.

CHELSEA VENCE PORTO – No estádio Ramon Sanchez Pizjuan, em Sevilha, no Sul da Espanha, o Chelsea venceu (2 x 0) o Porto, com o primeiro gol do atacante inglês Mason Mount, de 22 anos, na Liga dos Campeões, após belo drible de corpo no lateral nigeriano Zaidu Sanusi, aos 32 minutos. No segundo tempo, o lateral-esquerdo Ben Chilwell, inglês de 24 anos, fez 2 x 0 aos 40 minutos, passando até pelo goleiro argentino Marchesin, depois de falha do meia mexicano Tecatito Corona.

PRIMEIRO NEGRO – O jogo foi bem equilibrado e o Porto criou boas chances, mas parou em grandes defesas de Édouard Mendy, senegalês de 29 anos, 1,97m, primeiro goleiro negro da história do Chelsea, comprado em 2020 do Rennes, por indicação do ex-goleiro checo Petr Cech, que ficou 1.025 minutos sem sofrer gol, e hoje, aos 38 anos, é diretor técnico do Chelsea. Mendy é o único goleiro africano na temporada inglesa 2020-2021; o último havia sido Carl Ikeme, do Wolverhampton, em 2011-2012.

MESMO ESTÁDIO – Chelsea e Porto farão o segundo jogo no mesmo estádio de Sevilha, em virtude das restrições sanitárias na Inglaterra e em Portugal, na próxima terça (13), com o mando de campo do Chelsea, que terá a vantagem do empate. O jogo de ontem (7) foi dos mais limpos, com oito faltas de cada time, e o árbitro esloveno Slavko Vincic, de 41 anos, desde 2010 na FIFA, só aplicou dois cartões amarelos, no zagueiro Mbemba e no técnico Sergio Conceição, ambos do Porto.

Foto: Diário do Nordetes