A CREDIBILIDADE DO FUTEBOL PORTUGUÊS ESTÁ SERIAMENTE COMPROMETIDA, com o que aconteceu na noite de ontem (27), último sábado de novembro de 2021, no Estádio Nacional do Jamor, em Oeiras, município da região metropolitana da capital Lisboa. O Belenenses iniciou o jogo da 12ª rodada com o Benfica, com 9 jogadores, saiu para o intervalo perdendo por 7 x 0 e voltou com 7 jogadores para o 2º tempo, encerrado logo no primeiro minuto.

O ÁRBITRO MANUEL MOTA foi ao vestiário do Belenenses porque o time estava demorando para voltar para o segundo tempo e estranhou só ter visto sete dos nove jogadores que iniciaram o jogo. Mais ainda ao autorizar o início do segundo tempo, porque o goleiro João Monteiro, improvisado em outra posição, caiu em campo, obrigando-o a encerrar o jogo porque o Belenenses só tinha seis jogadores. Os torcedores do Benfica aplaudiram os 7 que voltaram.

RUI COSTA, ex-meia de 49 anos, que brilhou no Benfica, na seleção portuguesa e no Milan, presidente eleito do clube com 84,48% dos votos, em 9 de outubro disse que o Benfica não tem culpa: “Sabíamos que vários jogadores do Belenenses estão infectados pela Covid-19, mas não fomos procurados para adiar o jogo. Estamos envergonhados, mas não somos responsáveis. É uma noite dolorosa pela grande vergonha que representa para Portugal”.

FREDERICO VARANDAS, lisboeta de 42 anos, médico e presidente do Sporting, atual campeão, disse: “Inaceitável o que se viu no estádio do Jamor. Dessa forma, triste e vergonhosa, o futebol português continuará perdendo a credibilidade e deixará de ser levado a sério. O caso exige uma posição rigorosa de quem comanda o futebol do país. Portugal não pode ser desmoralizado com coisas desse nível tão baixo”.

BERNARDO SILVA, meio-campo lisboeta de 24 anos, titular da seleção portuguesa, que joga no Manchester City, também se manifestou nas redes sociais: “O que é isto? Por que o jogo não foi adiado?” O volante Ruben Neves, de 24 anos, do Wolverhampton, também perguntou: “Será que nós é que não pensamos bem?” O técnico Fernando Santos, da seleção portuguesa, apesar de muito procurado pelos jornais, não quis se pronunciar.

A REPERCUSSÃO em toda a Europa é a pior possível. Na Espanha, o jornal Mundo Deportivo escreveu: “Acontecimento isólito na Liga Portuguesa”. O diário Marca publicou: “O jogo da vergonha”. A rádio francesa RMC Sport bradou: “A farsa continua no futebol de Portugal”. A BOLA, principal jornal esportivo português desde 1945, sintetizou em sua capa: “Águias com 3 pontos num triste espetáculo do futebol”.

“Para o futebol ser Futebol (assim, com letra maiúscula), é preciso, pelo menos uma bola, duas balizas, uma equipe de arbitragem e 11 jogadores de cada lado. Mas, o que se viu em Oreiras foi tudo, menos futebol. Foi apenas um simulacro, que quer dizer simulação, falso aspecto. Mas diríamos mais: um simulacro vergonhoso e da pior qualidade, de manchar a história do futebol e de um país feito por gente séria”.

O ATACANTE URUGUAIO Darwin Nuñez marcou os três últimos gols do 7 x 0, na 10ª vitória do Benfica, líder, pelo menos por uma noite, com 31 pontos e com o ataque mais positivo (34 gols). O Porto, com 29 pontos, é favorito do jogo de hoje (28), em seu estádio do Dragão, com o Vitória de Guimarães, e deve recuperar a liderança. O Sporting, também com 29 pontos, deve ganhar em seu estádio José Alvalade do Tondela e voltar à vice-liderança.

Foto: Reuters