Escolha uma Página

TANTO QUANTO O FLAMENGO sobre o Fluminense, que completou 13 clássicos sem vitória, o Nova Iguaçu foi melhor que o Vasco nas semifinais e fará decisão inédita do título carioca de 2024 nos domingos 31 de março e 7 de abril, em que o Flamengo terá a vantagem de dois resultados iguais para ganhar o 38º título.

NÃO SÓ PELOS RESULTADOS das semifinais – 1 x 1 e 1 x 0 na tarde de ontem (17) -, mas pela campanha o Nova Iguaçu foi superior ao Vasco, bastando o resumo de que, nos três jogos do Campeonato Carioca, o Nova Iguaçu ganhou dois, fez quatro gols e sofreu só um gol. Na Taça Guanabara, em Uberlândia, 2 x 0.

PELA MELHOR CAMPANHA, em que eliminou não só o Vasco, mas também o Botafogo, que terminou em 5º e foi relegado à Copa Rio, o Nova Iguaçu tinha a vantagem de dois resultados iguais, e ao empatar (1 x 1) no jogo de ida, tinha a vantagem de outro empate ontem (17), mas buscou a vitória, que alcançou com méritos.

SE O 1º TEMPO DO VASCO foi ruim, só com dois chutes na direção do gol, de Galdames, em boa defesa do goleiro a escanteio, e Payet, por cima do travessão, o 2º, pior ainda, principalmente depois que sofreu o gol de Bill aos 29, sem força para reagir. “É esse o time que temos, não temos outro”, resumiu o técnico Ramon Diaz, que pedirá reforços para o Campeonato Brasileiro.

O GOL QUE CONFIRMOU a classificação do Nova Iguaçu foi do atacante Bill, de 24 anos, natural de Belfort Roxo, na Baixada fluminense, ex-base do Flamengo, que voltou ao Brasil há seis meses, emprestado pelo Dnipro, da Ucrânia, que tem 40% de seus direitos; 60% são do Nova Iguaçu e do Flamengo.

FOI O 5º GOL DE BILL, que estava livre do lado direito da defesa ao receber a assistência do artilheiro Carlinhos, levou a bola para o pé direito e finalizou rasteiro no canto esquerdo. A bola passou pelo goleiro Leo Jardim e ainda tocou no pé da trave esquerda antes de entrar.

A DECEPÇÃO DOS TORCEDORES do Vasco incluiu xingamentos e choro, principalmente dos mais jovens. O técnico Ramon Diaz assumiu a culpa: “A torcida tem que ter confiança e incentivar. O time que temos é esse, e repito, não temos outro”.

OS TORCEDORES do Vasco voltaram a dar demonstração de apoio incondicional ao time, como têm feito em todos os jogos. Os números das semifinais são bem claros: Vasco 1 x 1 Nova Iguaçu – 61.425. Fluminense 0 x 2 Flamengo – 52.169. Nova Iguaçu 1 x 0 Vasco (ontem, 17) – 60.429. Flamengo 0 x 0 Fluminense (sábado, 16) – 56.261.

ENQUANTO OS JOGADORES se esquivaram de atender os jornalistas, com entrevistas na zona mista, o meia francês Dimitri Payet foi a exceção, ao dar a volta olímpica no gramado, aplaudindo e sendo aplaudido pelos torcedores. Ele é dos raros que se salvam nesse grupo de jogadores de baixo nível técnico.

OS FINALISTAS – Fabricio, Yan Silva (Cayo Tenório), Pinheiro, Sergio Rafael e Maicon; Igor (Ronald), Albert e Yago (João Victor); Bill (Sidney), Xandinho (Maxsuell) e Carlinhos. O custo mensal do futebol do Nova Iguaçu não passa de R$300 mil, bem menos do que o Vasco paga só ao atacante argentino Vegetti.

OS ELIMINADOS: Leo Jardim, Rojas (Paulo Henrique), João Victor, Leo e Lucas Piton; Medel (Zé Gabriel), Praxedes (Juan Sforza), Galdames (David) e Payet; Adson (Clayton) e Vegetti. O Vasco anunciou 11 reforços durante o Carioca, mas há de ter confundido “reforço” com “contratação”.

O ÁRBITRO Yuri Cruz e o VAR, monitorado por Rodrigo Carvalhaes, erraram em não marcar pênalti que o lateral-esquerdo Lucas Piton cometeu com o braço esquerdo, quando ainda estava 0 x 0. O árbitro errou em não marcar no ato e o monitor do VAR ao dizer que “o braço de Lucas Piton estava colocado ao corpo”.

O VASCO TEM quase um mês para treinar e investir em reforços, na acepção da palavra, para a estreia no Campeonato Brasileiro de 2024 com o Atlético Mineiro. Melhor não demorar tanto para evitar que perto do final do campeonato, o técnico Ramon Diaz volte a dizer “Vasco no vá a bajar”…

Fotos: Delmiro Junior/Photo Premium/Agência O Globo e ISTOÉ Esporte