Escolha uma Página

COM A VIRADA DE 4 x 2 no Botafogo, no clássico com mais gols do Carioca de 2024, o Vasco chegou a subir duas posições, mas terminou a 9ª rodada em 4º lugar, com 16 pontos, com a virada (2 x 1) do Nova Iguaçu, 3º com 18 pontos, sobre o lanterna Audax, no último jogo da noite deste domingo (18), no estádio Elcyr Resende, em Bacaxá, distrito de Saquarema.

APÓS NOVE RODADAS, o Audax conseguiu marcar o primeiro gol, feito pelo zagueiro gaúcho Ramon Campos, de 24 anos, aos 8 minutos, e o meia Ronaldo empatou aos 47. O paulista Carlinhos, revelado no Corinthians e artilheiro do Carioca com 8 gols, brilhou aos 43 do 2º tempo, com o gol da virada do Nova Iguaçu, que impôs a 9ª derrota ao Audax, último, sem ponto, 1 gol marcado e 14 gols sofridos.

O BOTAFOGO TEVE GOL ANULADO de Victor Sá, por impedimento, logo aos 2 minutos, por decisão do monitor do VAR, sem revisão do árbitro, que confirmou a anulação após quase dois minutos de espera. Aos 21, após tabela com Tiquinho, o meia Eduardo abriu o placar, de fora da área, com chute de curva no ângulo.

O VASCO EMPATOU AOS 29, com o gol do meia chileno Galdames, que matou no peito o lançamento de Payet e chutou duas vezes, após rebatida do goleiro paraguaio Gatito. Sem que se saiba por que, o lance foi revisado, e em menos de um minuto, o árbitro confirmou o gol. O 1º tempo foi de pouco nível técnico.

NA VOLTA DO INTERVALO, o Vasco iniciou a virada logo aos 2 minutos. Após tabela com Zé Gabriel, Lucas Piton finalizou com o lado externo do pé esquerdo, no canto esquerdo de Gatito, e ampliou a vantagem aos 23, com Pablo Vegetti convertendo o pênalti de Hugo em Paulo Henrique, sobre a linha da área.

O BOTAFOGO SENTIU, E O VASCO chegou aos 4 x 1, aos 37, com o 2º gol de Pablo Vegetti completando na pequena área cruzamento de Puma. Antes de entrar, a bola bateu no travessão e nas costas de Gatito, que já estava caído. O Botafogo evitou a goleada, aos 41, com a belíssima bicicleta do meia Eduardo, no ângulo esquerdo.

EDUARDO VOLTOU a ser o melhor do Botafogo, além de ter marcado os gols mais bonitos, não só do clássico deste domingo (18), mas de toda a temporada. O Botafogo foi frágil na marcação, teve pouca criatividade e finalizações, e pode ficar fora das finais pelo quinto campeonato consecutivo.

O BOTAFOGO SEGUE convivendo com o trauma das viradas por quatro gols no estádio Nilton Santos, tal como aconteceu na reta final do Brasileiro de 2023, quando definhou e deixou escapar o título que parecia certo, após as derrotas seguidas para o Palmeiras e o Grêmio por 4 x 3.

VASCO, O TIME DA VIRADA – Leo Jardim, Paulo Henrique (Puma), Rojas, Maicon, Leo (cap) e Lucas Piton; Zé Gabriel (Praxedes), Galdames (Lucas Eduardo) e Payet (Mateus Carvalho); David (Adson) e Vegetti. Técnico – Ramon Diaz. Os dois últimos jogos serão em São Januário, com Volta Redonda e Portuguesa.

BOTAFOGO – Gatito, Damian Suarez (Mateo Ponte), Halter, Barboza e Hugo; Danilo (Marlon), Tchê Tchê (Kauê) e Eduardo; Savarino (Junior Santos), Tiquinho (cap) e Victor Sá (Emerson). O time estreia 4ª (21) na pré-Libertadores com o Aurora, na Bolívia, e os dois últimos jogos, sábado (24), com o Audax, e com o Fluminense.

BOTAFOGO 2 x 4 VASCO registrou R$1.243.800,00. 23.171 pagantes, em tarde de calor no estádio Nilton Santos. Atuação correta do árbitro Vagner Magalhães, que fez sete advertências com cartão amarelo: Danilo, Junior Santos e Emerson (Botafogo), e Ramon Diaz (técnico), Galdames, Paulo Henrique e Puma.

Fotos: TNT Sports, OGOL e UOL