Escolha uma Página

Foto Albert Gea/Reuters

Com o segundo gol dos 3 x 0 deste domingo (13) do líder Barcelona sobre o Eibar, diante de 71.039 torcedores no Camp Nou, Messi chegou aos 400 gols, tornando-se o maior artilheiro do Campeonato Espanhol, que começou em 1929-1930, com o Barcelona campeão e o Real Madrid vice. Mas o Real Madrid é recordista de títulos (33). O Barcelona foi 25 vezes campeão.

A estreia de Messi no campeonato foi no dia 16 de outubro de 2004, na vitória (3 x 1) sobre o Espanyol, segundo time de Barcelona, que jogava no antigo estádio Sarriá, onde o Brasil foi eliminado (3 x 2) da Copa do Mundo de 1982 pela Itália, com três gols de Paolo Rossi. Messi desbancou Cristiano Ronaldo, que marcou 311 gols em nove temporadas no Real Madrid.

MAIS DA METADE – Messi e Suárez são responsáveis por mais da metade dos gols do Barcelona, ataque mais positivo, com média de 2.78 gols por jogo (53 gols em 19 jogos). Messi, artilheiro, com 17. Suárez, vice, com 13, com os dois que marcou nos 3 x 0 deste domingo, em que o Barcelona consolidou a liderança do turno, cinco pontos à frente do Atlético de Madrid (43 a 38).

PRECISÃO -O Barcelona trocou mais 202 passes que o Eibar (523 a 321) e nessa precisão está incluído o meia carioca Philippe Coutinho, que deu assistência perfeita para o uruguaio Suárez fazer o gol do primeiro tempo aos 13 minutos. Coutinho voltou a jogar o tempo todo, com o técnico espanhol Ernesto Valverde enaltecendo suas qualidades.

A DUPLA – Na volta do intervalo, Messi e Suárez continuaram mostrando o entendimento perfeito. Suárez criou a jogada para o gol de Messi, que fez 2 x 0 aos oito minutos com chute forte cruzado, e seis minutos depois Suárez marcou o terceiro gol aos 14, após escanteio do lateral Sergi Roberto. O Barcelona reduziu o ritmo e administrou bem a vantagem.

OS LÍDERES – Ter Stegen, Sergi Roberto (Semedo, 37 do segundo tempo), Piquet, Lenglet e Jordi Alba; Rakitic, Busquets (Vidal, 20 do segundo tempo) e Arthur (Dembélé, 26 do segundo tempo); Messi, Suárez e Philippe Coutinho. O Barcelona terminou o turno com 43 pontos – 13 vitórias, 4 empates, 2 derrotas -, 53 gols marcados e 20 sofridos. O time líder volta ao Camp Nou no próximo domingo (20) para o jogo com o Leganés, da vigésima rodada, que abre o segundo turno.

22 FALTAS, 3 CARTÕES – O árbitro Gil Manzano, 34 anos, marcou 22 faltas (10 do Barcelona) e advertiu com cartão amarelo Busquets e Suárez, que reclamaram, e o atacante Sergio Enrich, do Eibar, por falta em Piqué. Gil Manzano é tido como adepto do Real Madrid, sempre prejudicando o Barcelona, o que levou Messi a se recusar a apertar-lhe a mão após os 2 x 2 de 23/9/2018 com o Girona.

PÊNALTI E VAR SALVAM O VICE-LÍDER ATLÉTICO DE MADRID

Diego Simeone / Daily Express

O técnico argentino Diego Simeone viveu neste domingo (13) um dos jogos mais agitados da temporada, mesmo em sendo em seu estádio, o Wanda Metropolitano – o mais moderno de Madrid -, e com o apoio de 57.093 torcedores. O Atlético de Madrid só conseguiu vencer com o gol de pênalti que o meia francês Antoine Griezmann converteu aos 12 minutos do segundo tempo.

O Levante FC, segundo time da cidade de Valencia, foi com proposta defensiva e controlou o Atlético no primeiro tempo. Mas, na volta do intervalo, a pressão aumentou. O meia montenegrino Nikola Vukcevic desviou a bola com leve toque de mão e o árbitro Prieto Iglesias apelou ao árbitro de video para confirmar o pênalti.

NO ALTO – O goleiro espanhol Oier Olazábal, 29 anos, 1,89m, tentou tirar a tranquilidade de Griezman, mas o meia campeão do mundo bateu o pênalti como costuma fazer sempre: com força e no alto, tirando qualquer chance de defesa. O Atlético passou a envolver o Levante com trocas de passes e fez mais 151 (402 a 251), tirando a chance de reação e mantendo o 1 x 0 até o fim.

100 JOGOS CONSECUTIVOS E DOIS GOLS EM TARDE DE FESTA

site oficial do Atlético de Bilbao

O domingo foi especial no estádio San Mamés, em Bilbao – maior cidade do Norte espanhol -, onde o Atlético de Bilbao ganhou (2 x 0) do Sevilha, para delírio dos 53.289 torcedores, em uma das 13 sedes da Eurocopa de seleções de 2020. No final, todos se levantaram para aplaudir Iñaki Williams, atacante espanhol de 24 anos, 1,86m, destro, que marcou os dois gols.

A comemoração foi especial porque Iñaki Williams não fazia gol no estádio desde 4 de dezembro de 2016 e voltou a marcar ao completar 100 jogos consecutivos pelo Atlético de Bilbao, um dos símbolos mais significativos do nacionalismo basco, por não admitir jogadores de outra região em seu elenco. Ele fez 1 x 0 aos 23 do primeiro tempo e o segundo gol aos 37 da fase final.

JEJUM DE 10 ANOS – Não foi apenas a quarta vitória que deu alívio ao Atlético de Bilbao, décimo quinto com 22 pontos, só três acima do Rayo Vallecano, primeiro do rebaixamento, mas também a manutenção da invencibilidade diante do Sevilha, terceiro com 33 pontos, que sofreu a quarta derrota no campeonato. O Sevilha completou 10 anos sem ganhar em Bilbao, no estádio San Mamés.

VINÍCIUS JÚNIOR RECEBE DURA ADVERTÊNCIA DO ÁRBITRO

Bartra, à esquerda, reclamou de Vinicius Júnior Foto: MARCELO DEL POZO / REUTERS

Pela primeira vez, Vinícius Júnior foi duramente advertido por um árbitro no Campeonato Espanhol. Alejandro Hernandez, 36 anos, do colegiado de árbitros das Ilhas Canárias, enquadrou o atacante do Real Madrid, que foi obrigado a apertar a mão e pedir desculpa ao zagueiro espanhol Marc Bartra, 27 anos, 1,84m, comprado no início deste ano do Borussia Dortmund, da Alemanha. Vinícius Júnior, após uma dividida com Bartra, insultou o jogador do Betis, que ganhou doze títulos no Barcelona: cinco vezes campeão espanhol, duas vezes da Liga dos Campeões e dois Mundiais de clubes.

JOGO TENSO – A campanha ruim tem tornado difíceis e tensos os jogos do Real Madrid, 10 pontos atrás do líder Barcelona. Vinícius Júnior, apesar de ser um dos mais novos do time, não tem fugido à regra. O ex-rubro-negro pouco produziu, embora mantido até o fim pelo técnico argentino Santiago Solari, que continua pressionado. O Real Madrid venceu (2 x 0) com dois gols de fora da área, mas levou um sufoco do Betis, no estádio Benito Villamarin, em Sevilha. 

OS TRÊS GOLS – O meia croata Luka Modric – melhor do mundo eleito pela Fifa na Copa 2018 em que foi vice-campeão – fez 1 x 0 aos 13 minutos, com chute de canhota, da meia-lua da área. Na volta do intervalo, o meia espanhol Sergio Canales empatou aos 23, e o gol da vitória, aos 43, foi do meia espanhol Daniel Ceballos, 22 anos, cobrando falta no canto esquerdo de Pau Lopez, sem que o goleiro chegasse na bola.

UMA POSIÇÃO – Com a décima vitória em dezenove jogos, o Real Madrid terminou em quarto lugar com 33 pontos, 10 abaixo do líder Barcelona e a 5 do vice-lider Atlético de Madrid, igualando-se ao Sevilha (33), que o supera nos critérios de desempate. Com a vitória sobre o Betis, em Sevilha, o Real Madrid saiu do quinto lugar, agora ocupado pelo Alavés com 32 pontos.

DESDE 1960 – Com o Betis todo de verde, o Real Madrid voltou a usar seu tradicional uniforme branco, o que não acontecia como visitante, em Sevilha, desde 18 de dezembro de 1960, quando goleou (5 x 0) o Betis, com dois gols do húngaro Ferenc Puskas, outro do argentino Di Stefano – dois dos maiores jogadores de sua história -, e de Francisco Gento e Luis del Sol.

19 FALTAS – Onze das dezenove faltas foram cometidas pelo Real Madrid, que só teve um advertido com cartão amarelo, o croata Modric. O árbitro Alejandro Hernandez mostrou amarelo para dois jogadores do Betis. O segundo tempo teve quatro minutos de acréscimos e a tensão do Real Madrid aumentou com a pressão do Betis pelo empate, evitado por boas defesas do goleiro costa-riquenho Keylor Navas, que depois de muito tempo voltou a ser titular.