O FLAMENGO VOLTARÁ A SER DIRIGIDO EM 2022 POR UM TÉCNICO PORTUGUÊS, embora não seja o que o clube e os torcedores queriam. Depois de dez dias em Portugal, os dirigentes do Flamengo desistiram de esperar por Jesus Jesus e acertaram com Paulo Sousa, que desde janeiro dirigiu a seleção da Polônia em 15 jogos, com 6 vitórias, 5 empates, 4 derrotas, e tentaria vaga para a Copa do Mundo de 2022, nos playoffs com a Rússia, após eliminado na Eurocopa.

PAULO SOUSA TERÁ QUE PAGAR MULTA DE 300 MIL EUROS (R$1.950 mil) porque Cezary Kulesza, ex-meia de 59 anos e presidente da Associação Polonesa de Futebol desde 19 de agosto de 2021, além de não atender o pedido de liberação, ainda o chamou de “Irresponsável” e “Inconsistente”. O contrato do treinador com o Flamengo será até dezembro de 2024, em bases não reveladas, e ele terá seis assistentes na comissão técnica, que será apresentada dia 10 de janeiro.

A RENÚNCIA DE PAULO SOUSA FOI RECEBIDA com surpresa e revolta, como a do presidente da Associação Polonesa de Futebol: “O comportamento do Sousa é extremamente irresponsável”. O capitão e maior artilheiro da seleção, Robert Lewandowski, desde 2010 na Alemanha, que sempre recusou propostas para se naturalizar e jogar pela seleção alemã, limitou-se a dizer que está “decepcionado e chocado”. 

O TÉCNICO PORTUGUÊS TAMBÉM FOI DURAMENTE CRITICADO nas edições online dos jornais poloneses, tão logo o presidente Cezary Kulesza anunciou a notícia do pedido de liberação feito por Paulo Sousa. O comentarista Krzysztof, do canal Sportowy, disse que “Paulo Sousa é um rato” e avaliou o trabalho do técnico como “o pior de toda a história do futebol polonês”, arrematando que “Sousa agiu como um cavalo de Tróia, que quebrou na Eurocopa e está fugindo dos playoffs”, referindo-se aos jogos que a Polônia disputará em março com a Rússia.

”CONFIAMOS NO PAULO SOUSA E FICAMOS DESILUDIDOS” – diz o editorial do jornal Przeglad Sportowy, editado na capital Varsóvia, que arrasa o técnico português com três palavras, em letras garrafais, na capa da edição impressa desta última 2ª feira (27) de dezembro: “DESERTOR, INGRATO, PERDEDOR”. O editorial tem mais: “Além de ter mostrado isso, não há nada de bom que se possa dizer sobre sua passagem pela seleção do nosso país”.

“PAULO SOUSA NÃO SE COMPORTOU DE FORMA CORRETA” – acrescenta o jornal, ao publicar: “Sousa garantiu na reunião da tarde de 14 de dezembro ao presidente Cezary Kulesza que não iria sair e que estava focado exclusivamente no trabalho na seleção. De repente, ele pede ao presidente para ser liberado, abandonando o trabalho e deixando a seleção polonesa sem comando técnico. Não foi uma atitude correta”.

Foto: Pledge Times