Depois de quase dois anos acumulando o cargo, o presidente do Vasco escolheu José Luis Moreira, vice-presidente do Conselho de Beneméritos, para assumir a vice-presidência de futebol, cargo que voltará a ocupar, tendo dois objetivos imediatos: a escolha do novo técnico – há vários nomes especulados – e a atualização dos salários dos jogadores e da comissão técnica. Moreira aceitou porque o presidente garantiu que trabalhará sem interferência.

OS NOMES – Antes de decidir sobre o convite ao técnico, José Luis Moreira já admitiu que o Vasco precisa investir em cinco contratações para melhorar a qualidade do elenco, decepcionante desde o início da temporada. Ele não fez citação a nenhum dos nomes que estão sendo especulados, mas considera que “o técnico precisará ser firme e fazer o time render de acordo com a tradição do futebol do clube e os anseios dos torcedores”.

RAMON MENEZES, mineiro de 49 anos, ex-meia, campeão brasileiro de 97 e da Libertadores de 98, é assistente da comissão técnica permanente do Vasco desde 2018 e pode ser efetivado. Entre 96 e 2006, disputou 252 jogos e marcou 91 gols com a camisa do Vasco. Era um dos especialistas de sua época em primorosas cobranças de falta. Foi também campeão mineiro no Cruzeiro e no Atlético, e quatro vezes campeão baiano pelo Vitória.

TIAGO LARGHI, de 39 anos, nascido em Paraíba do Sul, a 138 km da capital do Rio de Janeiro, seria o mais jovem entre os técnicos mais recentes do Vasco. Está sem clube desde outubro de 2018 quando saiu do Atlético MineiroARGEL FUCKS, de 45 anos, gaúcho, não conseguiu evitar o rebaixamento do CSA à Série B e foi demitido do Ceará em poucos jogos em 2020. Seria estreante no futebol carioca.

ZÉ RICARDO, de 48 anos, comandou o Vasco em 50 jogos entre 2017 e 2018. Está sem clube desde que saiu do Internacional em dezembro de 2019. JOSÉ MORAIS, de 54 anos, teria no Vasco a primeira experiência fora da Europa, onde só trabalhou como assistente de José Mourinho, técnico português com mais reputação mundial. Morais nasceu em Angola, no Sul da África, terra de Eusébio, segundo maior jogador da história de Portugal.

Foto: Vasconotícias