O Chile perdeu a sede, mas ganhou o árbitro da final da Libertadores. Roberto Tobar, 41 anos, formado em engenharia de computação gráfica, foi anunciado nesta terça (12) pela Comissão de Arbitragem da Confederação Sul-Americana, presidida pelo ex-árbitro Wilson Luis Seneme, da Federação Paulista, para apitar Flamengo x River, dia 23, em Lima.

COINCIDÊNCIA – O árbitro da histórica primeira final única da Copa Libertadores, disputada desde 1960, apitará o sexto jogo do River e o quarto do Flamengo, sem que ambos nunca tenham perdido, conforme demonstram os resultados da estatística.

Jogos do Flamengo apitados por Roberto Tobar

1 – Júnior Barranquilla 0 x 2 Flamengo – 30/11/2017 – Copa Sul-Americana.

2 – Peñarol 0 x 0 Flamengo – 8/8/2019 – Copa Libertadores.

3- Flamengo 2 x 0 Internacional – 21/8/2019 – Copa Libertadores.

Jogos do River apitados por Roberto Tobar

1 – Emelec 1 x 2 River – 27/4/2017 – Copa Libertadores.

2 – Santa Fé 0 x 1 River – 3/5/2018 – Copa Libertadores.

3 – Boca 2 x 2 River – 11/11/2018 – Copa Libertadores.

4 – River 3 x 0 Athletico Paranaense – 30/5/2019 – Recopa Sul-Americana.

5 – Cruzeiro 0 x 0 River (5 x 4 pênaltis) – 30/7/2019 – Copa Libertadores.

QUATRO PAÍSES – Flamengo x River, com árbitros de quatro países: Roberto Tobar e os assistentes Christian Schiemann e Claudio Rios (Chile). Quarto árbitro – Andrés Rojas (Colômbia). VAR, chefia – Diego Haro (Peru). VAR, supervisor – Piero Maza (Chile). VAR, assistente 1 -Alexandre Guzman (Colômbia). VAR, assistente 2 -Esteban Ostojich (Uruguai).

EXPULSÃO – Em menos de quatro meses, é a segunda indicação de Roberto Tobar para uma final sul-americana. Domingo, 7 de julho de 2019, ele apitou Brasil 3 x 1 Peru, no Maracanã, decisão da Copa América. Expulsou Gabriel Jesus e relatou na súmula que o jogador tentou derrubar a cabine do VAR ao sair de campo. Foi suspenso dois meses.

LINHA DURA – Do primeiro signo astrológico do zodíaco, o ariano Roberto Tobar, de 41 anos, nascido em 13 de abril de 1978, em Santiago, capital do Chile, é de personalidade muito forte e não raro se impõe pela agressividade. Intolerante com a indisciplina e o antijogo, em três anos de atuações na Libertadores já aplicou 115 cartões amarelos e 10 vermelhos. Rejeita qualquer tipo de reclamação.

Foto: Sapo Desporto