O Flamengo volta ao Maracanã, neste primeiro domingo (3) de novembro, sem Gabriel, que pelo segundo ano consecutivo será o artilheiro do Campeonato Brasileiro, repetindo o que fez com brilho em 2018 com a camisa do Santos. Contrasta com seu desempenho técnico, realçado por boas atuações e pelos gols, o acúmulo de nove cartões amarelos.

VARIEDADE – Muito ruim, para um jovem de 23 anos, com horizonte amplo, a imagem de de variedade de maus exemplos que Gabriel tem dado. De todas, nenhuma tão chocante quanto à da discussão com Willian Arão, em pleno centro do campo, assim que o árbitro apitou o final do empate (2 x 2) com o Goiás, no estádio Serra Dourada.

SUSPENSÃO – Gabriel cumpre suspensão no jogo de hoje com o Corinthians, por ofender o uruguaio Leandro Barcia, após discutirem, conforme relato do ábitro na súmula. Levou cartão no Fla-Flu por tentar atingir o zagueiro Nino com um pontapé. No 0 x 0 com o São Paulo, por uma sola no lateral Daniel Alves.

PROVOCAÇÃO – Outros gestos, pouco recomendáveis por serem antiesportivos, fazem parte da linha de conduta de Gabriel: as simulações de pênaltis nos jogos com Santos e Botafogo; a saída lenta de campo no jogo com o CSA; a provocação aos adversários no banco de reservas, e a discussão com Filipe Luis, um dos mais calmos do elenco.

DECLÍNIO – Após eliminar o Grêmio na semifinal da Libertadores, o declínio técnico de Gabriel vem sendo observado, com reflexos acentuados em sua conduta disciplinar. Não fosse assim, tornar-se-ia desnecessária a repreensão do técnico, que lhe pediu para ter mais calma e equilíbrio. Na contramão da tranquilidade, quem perde é o time.

QUE EXEMPLO também é possível esperar de um técnico que se exaspera à beira do campo, revoltando-se com falhas normais? As críticas e cobranças abertas que faz, também mostram que lhe falta equilíbrar o emocional. Ele já foi áspero com Rafinha, e já empurrou Gerson, quando deixava o campo após ser substituído. 

O FLAMENGO deve controlar a situaçãoNa reta final, sem um título importante que não ganha há nove anos, é preciso manter a serenidade do ambiente. Após bons investimentos para montar um grupo de qualidade, com contratações pontuais de alto nível, o Flamengo não pode deixar escapar o Brasileirão nem chegar aos 38 anos sem Libertadores.

Foto: time24news