Escolha uma Página

DEPOIS DO TERCEIRO jogo consecutivo marcando gols, que em dois valeram a vitória da seleção, nos amistosos com Inglaterra e México, Endrick foi comparado a Pelé, que na idade dele alcançou outros feitos ainda mais expressivos, como o de primeiro campeão do mundo da história das Copas, antes dos 17 anos.

COM BOM EXEMPLO, aos 17 anos, Endrick pediu aos entrevistadores que não o comparem a Pelé, que não viu, mas, sabe o que Pelé fez para ganhar três das quatro Copas que disputou; ser artilheiro de 11 Campeonatos Paulistas consecutivos, e de marcar 1.091 gols em 1.116 jogos, em 18 anos no Santos.

SÃO ALGUMAS das marcas inesquecíveis da carreira de Pelé, que em 1969 parou a Guerra de Biafra para o povo da Nigéria ver o Santos jogar com a seleção do Meio Oeste e se tornar o primeiro a interromper um conflito armado no mundo. “Só Pelé teve poder para parar uma guerra” – resumiram os jornais do mundo.

ÚNICO ATLETA DO SÉCULO da história do futebol, Pelé ganhou o prêmio duas vezes: da revista France Football em 1981, que recebeu em Paris, onde fiz a cobertura, e do Comitê Olímpico Internacional em 2000. Único que dois Papas convidaram a visitá-los no Vaticano, e 11 chefes de estado de recebê-lo em solenidade especial.

AO SER RECEBIDO na Casa Branca, em Washington, em 1973, Pelé ouviu e sorriu: “Prazer em conhecê-lo. Eu sou Richard Nixon, presidente dos Estados Unidos. Você não precisa se apresentar: o mundo inteiro conhece Pelé, o rei do futebol”.

PELÉ NASCEU GÊNIO, na 4ª feira, 23 de outubro de 1940. Seu pai, João Ramos do Nascimento, o Dondinho, atacante da época do futebol romântico, o batizou com o prenome Edison, em homenagem a um dos precursores da revolução tecnológica do século XX, Thomas Edison, o gênio criador da lâmpada elétrica.

CERTA VEZ, em Londres, o editor do The Times (Os Tempos), o mais antigo jornal inglês, fundado em 1873, quando perguntado por seus colegas repórteres como se escrevia Pelé, pegou uma folha de papel e escreveu: G-O-D (D-E-U-S).

OS TRÊS GOLS DE ENDRICK, em três jogos consecutivos, ao sair do banco de reservas, é um bom começo de carreira na seleção aos 17 anos, com chance, quem sabe?, de igualar, ou até de superar, outras marcas de Pelé: 8 gols em 1 jogo, uma vez; 5 gols em um jogo, 6 vezes; quatro gols em um jogo, 30 vezes; três gols em um jogo, 90 vezes. Gênio! Difícil é escolher o 2º melhor do mundo de todos os tempos.

Fotos:  Icon Sport e Sportbuzz