COM 2 x 0 NO INÍCIO DA NOITE NO CRB, E COM 3 x 0 DO FIM DA NOITE DO CRUZEIRO NO CORITIBA, agora sem tanta folga em primeiro, A SEXTA (8) FOI SOB MEDIDA PARA O BOTAFOGO. De novo só a 3 pontos do líder, igual em vitórias (15) e ataque mais positivo (42), e logo me lembrei da amiga Beth Carvalho, que após o título carioca de 89, compôs e gravou, mais com o coração do que com a bela voz “Esse é o Botafogo que eu gosto/Esse é o Botafogo que eu conheço”.

REENCONTRO – O Botafogo sem gol com o Vitória e o Botafogo que levou a virada do Avaí, não era o Botafogo da Beth Carvalho. O Botafogo da Beth é sempre o da vitória, como a da noite de ontem (8), décima quinta em 29 jogos; décima no estádio com o nome do mestre Nilton Santos, e oitava sem sofrer gol. Assim, o time segue em linha reta, no caminho da volta triunfal à Série A, compatível com sua história e tradição, principalmente em ano de mais uma Copa do Mundo.

DIVIDIU BEM – Equilibrado e inteligente, o Botafogo soube dividir bem, com um gol no fim de cada tempo. O meia Marco Antonio marcou seu quinto gol, aos 44, completando entre a trave e o goleiro, o cruzamento sob medida do meia Chay, assim batizado, em homenagem ao personagem de Era uma vez no Oeste, criado pelo cineasta italiano Sergio Leone, em um dos filmes de western mais famosos. Aos 31 anos, Chay é uma das peças importantes da boa campanha do Glorioso.

OUTRO NO FIM – O Botafogo soube aproveitar bem a vantagem de ter mais um campo, desde os 32 minutos, quando  Caetano viu o cartão vermelho direto, ao provocar sangramento no rosto de Rafael Navarro, atingido com a sola da chuteira, em falta grosseira e maldosa do zagueiro do CRB. O segundo gol foi o primeiro do lateral piauiense Carlinhos, aos 48 minutos, após o lançamento de Diego Gonçalves, em que a bola cruzou a extensão da área.

DOUGLAS BORGES, Jonathan (Daniel Borges), Joel Carli, Kanu (reapareceu bem, após suspensão) e Jonathan Silva (Carlinhos, aos 27 do segundo tempo); Oyama, Barreto, Marco Antonio (Diego Gonçalves) e Chay (Luis Henrique); Warley e Rafael Navarro (Rafael Moura) – o vice-líder Botafogo, do técnico Enderson Moreira. O CRB sofreu a quinta derrota em 15 jogos como melhor visitante, com 8 vitórias e 2 empates, mas caiu para o quinto lugar com 48 pontos.

QUATRO EM CASA – O Botafogo alternará os nove jogos restantes, realizando quatro em casa e cinco como visitante, a partir do próximo, terça (12), no estádio Independência, em Belo Horizonte, com o Cruzeiro, agora décimo primeiro com 38 pontos, com 3 x 0 no Coritiba. Os outros jogos como visitante serão com Goiás, Vasco, Ponte Preta e Brasil. Em casa, o Botafogo jogará com Brusque, Confiança, Operário e Guarani, na última rodada, em 27 de novembro.

NOITE DO VASCO – A vitória do Botafogo travou o CRB, que poderia ter ampliado a vantagem, mas ficará só com 2 pontos de vantagem em quinto, se hoje (9) o Vasco vencer o Sampaio Corrêa, no Castelão, em São Luis. Se ganhar, o Vasco se manterá em sexto, com 46 pontos e 13 vitórias. Mas, se perder, o Vasco pode cair para oitavo, se o CSA, sétimo com 42, vencer em casa o Brusque, e se o Guarani, oitavo com 42 pontos e 11 vitórias, ganhar em casa do Londrina.

Foto: André Durão | FogãoNet | Lance!