Escolha uma Página

APÓS A TERCEIRA DERROTA CONSECUTIVA, segunda sem fazer gol, na noite de ontem (22), por 1 x 0 na Arena Corinthians, será que o Botafogo quer mesmo ser campeão? Após o turno de 15 vitórias, sem sofrer gol em 11 dos 19 jogos, o time chegou a 11 vitórias em casa, 8 sem sofrer gol, mas começou a descer a ladeira depois de perder a invencibilidade no Estádio Nilton Santos para o Flamengo (2 x 1), na 22ª rodada, na noite do sábado, 2 de setembro.

O BOTAFOGO INICIOU O RETURNO (21ª rodada) no 0 x 0 com o São Paulo, no Morumbi; só venceu o Bahia (3 x 0), no Estádio Nilton Santos, e começou a marcha à ré, ao perder a invencibilidade em casa, depois de 11 vitórias – 8 sem sofrer gol -, para o Flamengo (2 x ), e nas derrotas por 1 x 0 para o Atlético, em Belo Horizonte, e para o Corinthians, que não vencia há cinco jogos e subiu quatro posições, concluindo a 24ª rodada em 10º, na noite desta 6ª feira (22), em São Paulo.

O GOL QUE DECIDIU Corinthians 1 x 0 Botafogo foi do zagueiro Gil, de 36 anos, fluminense de Campos dos Goytacazes, que marcou o 20º gol em 430 jogos, desde que voltou ao clube em 2019, após três temporadas no chinês Shandong Taishan. O lateral argentino Di Placido falhou, o lateral Mateus Bidu cruzou, Gil cabeceou e aproveitou o rebote do goleiro Lucas Perri, aos 14 minutos do 2º tempo.

O LATERAL MARÇAL, capitão do Botafogo, contribuiu muito para a 5ª derrota, 3ª consecutiva, ao ser expulso aos 23 minutos do 1º tempo, ao atingir com pé alto o atacante paulistano Pedro, de 17 anos. O árbitro mineiro Paulo Cesar Zanovelli advertiu Marçal com cartão amarelo, mas foi chamado pelo árbitro de vídeo Rafael Traci, catarinense da Fifa, e mudou a cor do cartão, expulsando-o com acerto ao rever o lance na tela do VAR.

MARÇAL SAIU IRRITADO ao ser expulso e até citou o nome de Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, que na véspera saiu para o vestiário antes do final do jogo com o Grêmio, revoltado com a marcação de uma falta. O capitão do Botafogo disse: “Isso aqui é roubo, Abel, isso aqui é roubo”, referindo-se à decisão do árbitro de expulsá-lo, após ser chamado pelo árbitro de vídeo. Marçal voltou a dizer: “Isso aqui é roubo, Abel, isso aqui é roubo”.

CORINTHIANS 1 x 0 BOTAFOGO registrou R$2.311.037,08. 37.543 pagantes, em noite de 22 graus na capital paulista. Além da expulsão de Marçal, o Botafogo teve mais quatro advertidos com cartão amarelo: Adryelson, Tchê Tchê, Diego Costa e Marlon Freitas. Quatro do Corinthians também receberam cartão amarelo: Gabriel Moscardo, Fagner, Yuri Alberto e o zagueiro Gil, autor do gol.

O TIME DA 5ª DERROTA, 3ª CONSECUTIVA: Lucas Perri, Di Placido (Junior Santos), Adryelson, Victor Cuesta e Marçal; Marlon Freitas (Gabriel Pires), Tchê Tchê e Eduardo; Luis Henrique (Diego Costa), Tiquinho Soares (Hugo) e Victor Sá (Carlos Alberto). Transtornado após a derrota, o técnico português Bruno Lage chegou a falar palavrão e pediu que os torcedores apoiem a equipe: “Aqui não há clima de pessimismo. Os torcedores têm que continuar apoiando”.

O BOTAFOGO terá uma boa pausa, só voltando a jogar dia 2 de outubro com o Goiás, pela 25ª rodada, no Estádio Nilton Santos. A terceira derrota consecutiva, mesmo com o time mantendo sete pontos de vantagem (51 a 44) sobre o vice-líder Palmeiras, provocou reações de torcedores nas redes sociais, criticando o desempenho de alguns jogadores, entre eles Tiquinho Soares, artilheiro do Campeonato Brasileiro.

DEPOIS DE CINCO JOGOS sem vitória, o Corinthians subiu quatro posições e terminou a 24ª rodada no meio da tabela, em 10º, com 30 pontos, após a sétima vitória, nove empates, oito derrotas e diminuiu o saldo negativo para 1 gol, com 28 marcados e 29 sofridos. O técnico Vanderlei Luxemburgo poupou no 1º tempo Fagner, Fabio Santos e Renato Augusto, antevendo o primeiro jogo da semifinal da Sul-Americana com o Fortaleza, 3ª feira (26), na Arena Corinthians.

TORCEDORES DO CORINTHIANS protestaram contra a terceira camisa, usada pela primeira vez na noite de ontem (22), na vitória sobre o Botafogo, em tom amarelo bem forte: “O Corinthians é preto e branco. A tradição não pode ser quebrada”.

Fotos: Trivela e CNN Brasil