Três técnicos: Jayme, Tim e Didi

A história do futebol peruano reserva espaço especial para três técnicos brasileiros que brilharam em Lima: Jayme de Almeida, lateral do primeiro tricampeonato do Flamengo (42-43-44), Didi – meia bicampeão mundial, titular em todos os jogos das Copas de 58 e 62 – e Tim, meia da seleção na terceira Copa do Mundo em 1938.

TRÊS TÍTULOS – Jayme de Almeida – 1920 – 1973 -, capitão do time do primeiro tricampeonato do Flamengo – 42-43-44 -, que defendeu de 46 a 59, foi técnico do Alianza Lima, de 61 a 66, ganhando o bicampeonato peruano (62-63) e o terceiro título em 65. Revelou Teófilo Cubillas, artilheiro e principal jogador da seleção na Copa do Mundo de 70.

BICAMPEÃO – O segundo técnico brasileiro de sucesso no Peru foi o bicampeão mundial Didi – 1928 – 2001 -, campeão em 1968 no Alianza Lima e que levou a seleção de volta à Copa, depois de 40 anos, em 1970, eliminado pelo Brasil (4 x 2) nas quartas de final. O Sporting Cristal foi um dos últimos clubes de Didi como jogador em 63 (60 jogos, 15 gols).

FOLHA-SECA – Didi havia tirado o Peru da Copa de 58, ao marcar de falta, em 13/4/57, no Maracanã, o gol da folha-seca, que classificou o Brasil (1 x 0), após 1 x 1 no jogo de ida em Lima. 33 anos depois, Didi foi o técnico da seleção peruana, que até então só havia disputado a primeira Copa do Mundo em 1930

NO RIVER – Didi teve passagem curta pelo River, que vivia grave crise financeira em 1971, mas soube superar os problemas e fazer uma renovação de valores, até hoje recordada pelos mais antigos do futebol argentino. Com uma equipe de garotos, Didi levou o River à vitória de 3 x 1 sobre o Boca, com jogadores muito mais experientes.

ESTRATEGISTA – O terceiro técnico brasileiro de sucesso em Lima foi Elba de Pádua Lima – 1916 – 1984 -, Tim, considerado um dos grandes estrategistas do futebol, que comandou o Peru na Copa do Mundo de 1982, a primeira com 24 seleções. Quatro anos depois, ele dirigiu o San Lorenzo, no título invicto de campeão argentino de 1986.

TIM foi meia do Fluminense, tricampeão em 36-37-38, quando o clube contratou oito da seleção paulista, então a melhor do Brasil. Entre outros títulos de Tim, dois se destacaram como técnico: o do último de Castilho, melhor goleiro da história do clube, em 1964, e o de 1970 do Vasco, que não ganhava o campeonato desde o Supersuper de 1958.

HISTÓRICO – O ex-atacante Evaristo de Macedo tem um feito histórico no Estádio Nacional de Lima. Na noite de 23 de março de 1957, nos 9 x 0 na Colômbia, ele foi o primeiro – e até hoje único – a fazer cinco gols em um jogo pela seleção, no então Campeonato Sul-Americano, hoje Copa América. Os outros foram de Pepe (2), Didi e Zizinho. Bom lembrar: Evaristo também brilhou no primeiro tri do Flamengo (53-54-55).