Escolha uma Página

ESTÁ A CAMINHO a aprovação, mais que justa, de mais uma homenagem especial ao maior jogador da história de todos os tempos do futebol. Em 2023, a Confederação Sul-Americana de Futebol respeitou um minuto de silêncio, antes de todos os jogos da Copa Libertadores, pela memória de Pelé, primeiro brasileiro a ganhar o título duas vezes consecutivas, em 1962 e 1963, com o Santos, campeão nos mesmos anos do Mundial de clubes, em finais com Benfica e Milan.

A PARTIR DE 2024, será comemorado, em 19 de novembro, o Dia do Rei Pelé, por proposta do deputado federal Felipe Augusto Lyra Carreras, pernambucano de 48 anos, da Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados, através do projeto de lei 3928/2023. Da bancada do Partido Socialista Brasileiro, ele ressalta no requerimento “o legado eterno do maior jogador de todos os tempos, que com seu talento e arte tornou o Brasil conhecido e admirado em todo o mundo”.

19 DE NOVEMBRO de 1969 foi a data em que Pelé marcou o histórico gol 1000 de sua incomparável carreira, o da vitória do Santos sobre o Vasco por 2 x 1, na noite de 4ª feira, no Maracanã. O autor do projeto ressaltou que “Pelé superou muitos desafios, ao sair da pobreza para o estrelato, sem nunca perder a simplicidade e a humildade”. Reeleito em 2018 e 2022, o autor do projeto do Dia do Rei Pelé está em seu terceiro mandato, desde 2014, quando teve 187.348 votos.

BOM LEMBRAR: natural de Três Corações, cidade do Sul de Minas Gerais, Edson Arantes do Nascimento, o eterno Rei Pelé, nasceu na 4ª feira, 23 de outubro de 1940, 52 anos depois de a princesa Isabel assinar a Lei Áurea, no domingo, 13 de maio de 1888, tornando o Brasil como último país da América Latina a abolir a escravatura. Pelé foi o campeão do mundo mais jovem, aos 17 anos, único a ganhar três Copas do Mundo (1958-1962-1970) e o prêmio de Atleta do Século.

Foto: Reprodução