UM DIA DEPOIS DE OS JOGADORES terem evitado os torcedores no aeroporto internacional do Rio, entrando pelo terminal de cargas, para escapar de protesto pela perda do Campeonato Carioca, o Flamengo decidiu marcar para 5ª feira (7) uma reunião com os líderes das torcidas organizadas, que estão insatisfeitos. É o clube passando a ser dirigido de fora para dentro.

A REUNIÃO FOI CONFIRMADA ontem (4) pelo vice-presidente de futebol, que deveria estar em Lima, onde o Flamengo estreia hoje (5) na Libertadores de 2022, mas decidiu não viajar, apesar do momento muito delicado porque passa o futebol do clube. O próprio presidente também não viajou com a delegação.

A MARCAÇÃO DA REUNIÃO de 5ª feira (7) causou mal-estar entre outros poderes do clube, contrários à iniciativa, desde que a diretoria foi eleita. Os próprios jogadores não gostaram, porque dizem que os líderes de torcidas organizadas agem de modo agressivo, até violento, com ameaças que se estendem às suas próprias famílias.

O FLAMENGO ESTÁ DESISTINDO do meia Andreas, de 26 anos, e propenso a investir em Arturo Vidal, oito anos mais velho, que em dois meses terá o contrato encerrado com a Inter de Milão. Os torcedores não vão esquecer nem perdoar nunca a falha de Andreas na final da Libertadores, por mais que o clube tente convencê-los.

SÓ UMA ESTREIA COM VITÓRIA sobre o Sporting Cristal será capaz de baixar a pressão, não só contra alguns jogadores, mas também sobre o técnico Paulo Sousa, que ainda não conseguiu dar identidade ao time. Tanto ruim quanto, em quatro meses, o Flamengo perdeu a decisão da Supercopa do Brasil e do Campeonato Carioca, deixando escapar um inédito tetracampeonato.

O FLAMENGO TAMBÉM ESTÁ tentando se livrar de outro problema, o do lateral Ramon, indiciado por homicídio culposo, por ter atropelado e matado o ciclista Jonatas Davi dos Santos, na noite do sábado, 4 de dezembro de 2021. Como se nada houvesse acontecido, o jogador está sendo emprestado ao Bragantino.

É MAIS UM CASO GRAVÍSSIMO, passível de passar batido, como está acontecendo com o de outro lateral, Marcinho, ex-Botafogo e Athletico Paranaense, que atropelou e matou, dirigindo em alta velocidade, os professores Maria Cristina e Alexandre Lima, na noite da 5ª feira, 30 de dezembro de 2021. 

A IMPUNIDADE TEM LEVADO a outros casos, como o do incêndio do Ninho do Urubu, na madrugada da 6ª feira, 8 de fevereiro de 2019, em que 10 jogadores da divisão de base morreram enquanto dormiam, segundo as autoridades, em contêineres inadequados. Quase 38 meses depois, ninguém foi preso.

Foto: Pintrest