A seis pontos do líder Atlético Mineiro, mas só a um ponto do vice-líder Internacional, e do Palmeiras, terceiro, o Flamengo abre hoje (7) a décima quarta rodada do Brasileiro 2020, como único dos cinco primeiros a jogar em casa, podendo ter vantagem e melhorar a posição, embora o Sport, quinto e só com um ponto a menos, também possa entrar no G4, em caso de vitória. O Flamengo tem 21 pontos, com 6 vitórias e 2 gols de saldo, e o Sport tem 20 pontos, também com 6 vitórias, mas sem saldo.

PARECIDAS – Mesmo com o Sport tendo mais um jogo que o Flamengo, as campanhas são bem parecidas. Iguais em vitórias (6), o Flamengo empatou mais um jogo (3 a 2) e o Sport perdeu mais mais dois (5 a 3). O Flamengo tem o terceiro melhor ataque (17), igual aos do Inter, Palmeiras, Vasco e Fluminense, com o Atlético liderando também nos gols (25), e o Santos com 18. O Sport, zerado (14 a 14), mas sem perder há quatro jogos, vem de empate com o Palmeiras e vitórias sobre Fluminense, Corinthians e Bahia.

REGULAR – O desempenho do Flamengo como mandante é apenas regular, com as vitórias sobre o Fortaleza (2 x 1) e o Athletico Paranaense (3 x 1), os empates em 1 x 1 com Grêmio e Botafogo, e a derrota (1 x 0) que sofreu na estreia para o Atlético Mineiro, no único jogo em que não fez gol no Maracanã. O visitante Sport venceu pelo mesmo placar (2 x 1) o Grêmio e o Bahia, empatou com o Atlético Goianiense (1 x 1) e com o Palmeiras (2 x 2) e não fez gol nas três derrotas: 2 x 0 para o Vasco e 1 x 0 para o Coritiba e o Fortaleza.

DE VOLTA – Depois de ser o mais atingido da comissão técnica pelo novo coronavírus, Domenec Torrent volta à área técnica do Maracanã, sem esconder a preocupação quanto à criatividade do time, devido às ausências de Everton Ribeiro e Arrascaeta, a serem mais sentidas que a do zagueiro Rodrigo Caio. O técnico espanhol até decidiu fazer mais um treino, hoje (7), dia do jogo, para tentar ajustar mais o meio-campo e confirmar a escalação. 

MARATONA – Tanto quanto às ausência de Everton Ribeiro e Arrascaeta, que implicam em queda da criatividade, o técnico não esconde a preocupação com a maratona de jogos, iniciada na vitória (3 x 1) sobre o Athletico Paranaense, e que obrigará o time a só ter dois dias de descanso antes dos jogos de sábado (10) com o Vasco e de terça (13) com o Goiás, mesmo que sejam todos no Rio. O treinador até antecipa que utilizará todas as cinco substituições para minimizar o desgaste.

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo