Escolha uma Página

ABEL BRAGA NÃO CONTEVE A EMOÇÃO, após ganhar a Taça Guanabara pela terceira vez como técnico do Fluminense. Sentimental como todo virginiano – ele será setentão em 1 de setembro -, Abel abriu o coração ao lembrar da morte do caçula João Pedro, aos 18 anos, em 29 de julho de 2017: “No salão nobre do Fluminense velei meu filho. O Fluminense para mim é alma”.

ABEL BRAGA ergueu o pensamento ao céu e dedicou mais uma de suas conquistas à memória do filho querido João Pedro. Abel mantém a simplicidade e a correção ensinadas pelos pais, e exalta o clube do coração: “Tudo que represento como ser humano, caráter, está incluído na alma que o Fluminense me dá. O Fluminense para mim é alma” – fez questão de repetir.

SEGUNDO TÉCNICO que mais dirigiu o Fluminense, Abel Braga completou neste sábado (5), na goleada de 4 x 0 sobre o Resende, 338 jogos, menos 159 que o recordista Zezé Moreira (497), uma de suas fontes de inspiração, pelos conhecimentos e pela seriedade. Abel Braga também aprendeu muito com Orlando Fantoni, seu técnico no Vasco, campeão carioca de 1977.

COBRIA O FLUMINENSE e vi de perto a evolução de Abel Braga, zagueiro campeão da Taça Guanabara e Carioca, entre os anos 71 e 75, e com igual brilho, em 77 no Vasco, e no início dos anos 80, na França, quando me ofereceu como lembrança a camisa que vestia no PSG. Não era difícil prever que seria bom técnico. Sabia repassar o que aprendeu, jogando e com técnicos.

ABEL BRAGA faz parte do grupo seleto de técnicos brasileiros, campeões da Libertadores e do Mundial de clubes na mesma temporada: Lula no Santos em 62-63; Telê Santana no São Paulo 92-93; Paulo Cesar Carpegiani no Flamengo 1981, que vi de perto, em Tóquio, liquidar o Liverpool com 3 x 0 em 28 minutos. Abel está marcado na história do Internacional, campeão da Libertadores e do Mundial, em 2006, vencendo as finais com São Paulo e Barcelona.

O FLUMINENSE está bem orientado por Abel Braga para entrar na fase de grupos, após eliminar o Millonarios com duas vitórias, mas ele é comedido: “O Olímpia é adversário superior, com mais lastro, mais tradição, campeão da Libertadores e do Mundial. Mas isso não nos intimida; só motiva, ainda mais, a todos nós do Fluminense”.

Foto: Bola Vip / R7