ROBERTO DINAMITE fez 1.110 jogos e 708 gols com a camisa do Vasco, nenhum mais bonito nem que seja tão lembrado, quanto o do lençol no zagueiro Osmar

Guarnelli, na virada sobre o Botafogo por 2 x 1, no domingo, 9 de maio de 1976, pela 13ª rodada da Taça Guanabara, diante de 39.232 pagantes no Maracanã.

O BOTAFOGO, do técnico Telê Santana, saiu em vantagem para o intervalo, com o gol do meia Ademir, aos 43 minutos. Paulo Emílio, técnico do Vasco, sabia motivar suas equipes, e o time voltou outro para o 2º tempo. Roberto Dinamite empatou aos 18, depois de insistir três vezes nas finalizações rebatidas pelo goleiro Wendell.

QUANDO O EMPATE parecia definitivo, o meia Zanata cruzou de canhota da entrada da área. Roberto Dinamite amorteceu no peito, entre a marca do pênalti e a linha da pequena área, e sem deixar a bola tocar no gramado, aplicou o lençol de pé direito em Osmar, e com o peito do próprio pé direito, mandou no canto direito.

MAZAROPI, Gaúcho, Abel, Renê e Marco Antonio; Zanata, Zé Mário e Luis Carlos; Fumanchu, Roberto Dinamite e Dé, o Vasco do gol do lençol da virada de Roberto Dinamite, que foi à final da Taça Guanabara e venceu o Flamengo nos pênaltis (5 x 4), depois de 1 x 1. Público: 39.232 pagantes. Árbitro: Armando Marques.

ROBERTO DINAMITE me disse certa vez: “Pode até nem ter sido o gol mais bonito que fiz, mas eu diria que foi o mais famoso e o que mais ficou lembrado”. E com aquele sorriso que não podia faltar, acrescentou: “O Osmar não gostava que se falasse sobre o gol. Parece até que ele chegou a se aborrecer com alguns amigos”.

Foto: Eurico Dantas