O FLAMENGO já tem data marcada para disputar o jogo com menor público de sua história em uma decisão: terça-feira, 21 de fevereiro de 2023, com o Independiente del Valle, do Equador. O primeiro jogo da final da Recopa Sul-Americana será diante de 12 mil torcedores, capacidade máxima do estádio da cidade de Guaiaquil.

O JOGO SERIA na altitude de 2.850 metros do estádio Atahualpa,  com 38.500 lugares, na capital Quito, onde o Equador venceu o Brasil pela primeira vez, em 29 de março de 2001 – 1 x 0, gol de Delgado aos 4 do 2º tempo -, pelas eliminatórias da Copa de 2002, a última que o Brasil ganhou. Mas o Del Valle mudou de ideia.

O DEL VALLE quer fazer a primeira final internacional em seu próprio estádio, mesmo diante de apenas 12 mil torcedores, como retribuição ao apoio recente. Depois de 62 anos, só participando, foi campeão equatoriano de 2021; da Copa do Equador de 2022, e duas vezes campeão da Copa Sul-Americana, em 2019 e 2022.

O ESTÁDIO foi construído em dois anos, custou 12 milhões de dólares e é o primeiro do Equador 100% com assentos, com 12 mil poltronas confortáveis. O gramado é natural e com dimensões da Copa do Mundo: 105 x 68. Foi inaugurado em março de 2021, com Del Valle 2 x 0 Delfin, e o primeiro gol marcado por Lorenzo Faravelli.

O PRIMEIRO título internacional do clube motivou a construção do estádio, após 3 x 1 no argentino Colon, na final da Copa Sul-Americana de 2019, em jogo único no Paraguai. Em 2022, em jogo único na Argentina, o Del Valle ganhou a segunda Copa Sul-Americana, com 2 x 0 no São Paulo. 

O DEL VALLE é um dos três que ganharam duas vezes a Copa Sul-Americana, junto com os argentinos Boca e Independiente – maior campeão da Libertadores com sete títulos -, e o Athletico Paranaense. O Internacional ganhou em 2008, o São Paulo em 2012, e o título de 2016 foi outorgado à Chapecoense pelo Nacional de Medellin.

Foto: Lance!