Depois de impor ao São Paulo a maior goleada da história de sessenta anos do Morumbi, o Internacional assumiu a liderança com mais vitórias (17), ataque mais positivo (53), o artilheiro Tiago Galhardo (16), e como o time que menos perdeu (só 2 jogos), desde que Abel Braga assumiu. A oito pontos do líder, o Grêmio não se abala, e diz que mantém a confiança no título. É o Grenal 429 da história, que começou no domingo, 18 de julho de 1909, com – acreditem! – Grêmio 10 x 0 Internacional.

O FREGUÊS – Na Arena Beira Rio, inaugurada em 2012, será o Grenal 18, e mesmo em casa, o Internacional é freguês do Grêmio, que ganhou 6 dos 17, só perdeu 1 e empatou 10. Mas, no histórico de 427 jogos, os números são outros e a vantagem do Inter é de 20 vitórias, com 156 a 136, registrando-se, por coincidência, o mesmo número de empates (136). No Brasileiro, será o Grenal 60, com vantagem de 4 vitórias do Grêmio (23 a 19), e 17 empates. O Grêmio é o que mais empatou no atual campeonato (15).

14 SEGUNDOS – O gol mais rápido da história do Grenal foi o que o meia Yura, hoje aos 68 anos, marcou aos 14 segundos, no domingo, 14 de agosto de 1977, no antigo estádio Olímpico do Grêmio, em jogo do Campeonato Gaúcho. Detalhe importante: nenhum jogador do Internacional, nem mesmo seu histórico goleiro pernambucano Manga, hoje aos 83 anos, vivendo no Retiro dos Artistas, no Rio de Janeiro, conseguiu tocar na bola. Mestre Telê Santana era o técnico do Grêmio, campeão daquele ano.

AS FAIXAS – Em 1983, o Internacional foi campeão gaúcho, e o Grêmio, campeão mundial de clubes. O zagueiro Mauro Galvão resolveu provocar Renato, autor dos dois gols: “Eles podem ser campeões do mundo, mas aqui mandamos nós”. Orgulho ferido, Renato pediu um amistoso, com troca de faixas, e colocou a de Mauro Galvão. Estádio Olímpico, 26 de janeiro de 84: Grêmio 4 x 2 Inter. Renato fez o primeiro gol, foi ao banco de reservas, colocou a faixa e voltou ao gramado para comemorar o Grenal 268…

O LENÇOL – O Grenal 341, no domingo, 20 de junho de 1999, entrou para a história do Campeonato Gaúcho. Estava muito equilibrado e parecia que terminaria sem gol. Aos 44 do segundo tempo, Ronaldinho Gaúcho, então um jovem de 19 anos, aprontou: arrancou do meio do campo com a bola dominada, driblou três e ficou na frente de Dunga, o capitão que ergueu a Copa de 94 e foi vice em 98, levou um belo lençol. Ao sair no desespero, o goleiro André levou outro lençol: Grêmio 1 x 0.

GOL 1000 – No sábado, 10 de julho de 2004, foi marcado o gol 1000 do Grenal 360, em jogo tenso pelo Campeonato Brasileiro. O técnico Joel Santana promoveu a estreia de Fernandão, que entrou no intervalo e fez de cabeça aos 34 minutos. O Inter já vencia, com o gol, também de cabeça, do zagueiro Vinícius. Inter 2 x 0 no antigo estádio Beira Rio. O atacante Fernandão morreu aos 36 anos, em queda de helicóptero, em Goiás, seu estado natal, em junho de 2014.

100 ANOS – Com uma semana de promoção intensa, em que foi rotulado de Grenal do Século, o estádio Olímpico do Grêmio lotou no domingo, 19 de julho de 2009. O Inter fez 1 x 0, gol de Nilmar, e Souza, de falta, empatou. No segundo tempo, o atacante argentino Maxi Lopez marcou de cabeça o gol da virada (2 x 1) do Grêmio, no Grenal 377. Paulo Autuori era técnico do Grêmio. Tite, do Internacional. 100 anos depois, o Grêmio não goleou como em 1909 (10 x 0!), mas voltou a vencer.

OITO EXPULSÕES – O Grenal 424, foi histórico, na noite da quinta-feira, 12 de março de 2020, não só por ser o primeiro da Libertadores, mas pela batalha campal na Arena Grêmio, iniciada aos 40 do segundo tempo com a falta dura de Moisés em Pepê. O árbitro argentino Fernando Rapallíni esperou 13 minutos e expulsou oito: Moisés, Edenilson e Cuesta, e mais dois reservas do Inter – Praxedes e Paulo Miranda -, e Pepê, Caio Henrique e Luciano, do Grêmio. 0 x 0.

SEM PÚBLICO – Seis meses depois, sem público, devido à Covid-19, o segundo Grenal da Libertadores não teve baixaria e o Grêmio ganhou (1 x 0), com o gol de Pepê, aos 29 do segundo tempo, em seu centésimo jogo, na noite da quarta-feira, 23 de setembro de 2020, na Arena Beira Rio. D’Alessandro saiu triste ao completar 500 jogos com a camisa do Internacional, que chegou ao décimo Grenal sem vencer. Árbitro: Patrício Loustau, argentino que apitará Santos x Palmeiras, a final do próximo sábado (30), no Maracanã.

COMO SERÁ O GRENAL 429, amanhã (24), na Arena Beira Rio? O líder Internacional tem 59 pontos, com 17 vitórias, e pode dar mais um salto de qualidade rumo ao título. O Grêmio, sexto com 51 pontos, pode recolocar o São Paulo, com 57 pontos, na liderança, desde que ganhe hoje (23) do Coritiba; dar fôlego ao Flamengo, terceiro com 55, que joga amanhã (24) com o Athletico Paranaense, e ao Atlético Mineiro, quarto com 54, que joga hoje (23) com o Vasco. Você acredita em reviravoltas?

Foto: Torcedores