Escolha uma Página

Vinte e cinco milhões de euros, o equivalente a 110 milhões de reais, é o Papai Noel do Natal de 2018 de José Mourinho, que o Manchester United vai dar ao técnico português por tê-lo demitido nesta terça (18), seis meses antes do fim do contrato de três temporadas, que só terminaria em junho de 2019. Após 17 rodadas, ele deixou o time em sexto, com 26 pontos – 7 vitórias, 5 empates, 5 derrotas – e zerado no saldo (29 a 29), com mais gols sofridos do que em todo o campeonato anterior.

Fundado em 1 de janeiro de 1878, na região metropolitana de Trafford, no noroeste inglês, o Manchester United é um dos clubes mais ricos do mundo, com patrimônio avaliado em torno de R$3 bilhões! Seu histórico de relacionamento com os profissionais é sempre de alto nível, o que Mourinho, do alto da sua arrogância, não soube manter em dois anos e meio. Por isso, ao ser demitido, teve que sair cabisbaixo, quase mudo e pela porta dos fundos.

PERDEU TUDO – Mourinho entrou no Manchester United, em 26 de maio de 2016, e dirigiu o time até domingo, 16 de dezembro de 2018, quando perdeu (3 x 1), fora de casa, para o líder e único invicto Liverpool. Foi seu jogo 144. O desgaste já era acentuado, como escreveu o colunista Neil Ashton, do jornal The Sun“Mourinho destruiu um grande clube de futebol. Perdeu jogos, perdeu o respeito dos jogadores e dos torcedores. E também não poderia deixar de perder o cargo”.

DISCUSSÃO – Além da campanha ruim – 19 pontos atrás do líder em 17 das 38 rodadas -, Mourinho criticou a política de contratação do clube, batendo de frente com o diretor-geral Ed Woodward, que o demitiu. Discutiu com o atacante Paul Pogba, referência do time, com quem pouco passou a falar. Os jogadores se isolaram dele e já não o ouviam como antes. Não raro, tomavam a iniciativa de mudar em campo o que o técnico falava no vestiário.

ALEX FERGUSON – O técnico que mais dirigiu o Manchester United – 1986 a 2013, em 1.500 jogos, 49 títulos -, vai fazer 77 anos no próximo dia 31, e não falta aos jogos no Old Trafford. Em 1999, quando se tornou o único vencedor da Tríplice Coroa – campeão inglês, da Copa da Inglaterra e da Liga dos Campeões -, ganhou duas homenagens especiais: um busto em tamanho natural, em que aparece de braços cruzados, na entrada do estádio, e o título de Sir, das mãos da Rainha Elizabeth, no Palacio de Buckingham. Fergunson vinha sendo ácido nas críticas a Mourinho.

The Sun

NOMES COTADOS – Zidane, sem clube desde que saiu do Real Madrid; Antonio Conte, sem clube desde que deixou o Chelsea; Arsene Wenger, que dirigiu o Arsenal em 1.235 jogos, entre 1996 e 2018; Laurent Blanc, da seleção francesa campeã do mundo em 98, e até um técnico com vínculo, o argentino Maurício Pochettino, desde 2014 no Tottenham, atual terceiro colocado.

Ole Gunnar Solskjær / Foto: ERIK BIRKELAND

O INTERINO – Enquanto decide sobre o substituto de Mourinho, o clube anunciou o técnico interino, Gunnar Solskjaer, 45 anos, ex-atacante, que fora da Noruega, onde nasceu e atuou em dois times da terceira divisão, só jogou no Manchester United, de 1996 a 2007, marcando 126 gols em 266 jogos. Solskjaer será apresentado nesta quarta (19) aos jogadores e dirigirá o time no jogo de sábado (22), no País de Gales, com o Cardiff FC, por sinal o último time que comandou em 2014. Ele estava sem clube desde então.

REPERCUSSÃO – Na França, a demissão de Mourinho teve repercussão, em tom irônico, por exemplo, do L’Equipe, principal jornal esportivo do país, que usou a expressão em inglês quando ele treinou o Chelsea de Londres, de 2004 a 2007: The Special OUT (O Especial FORA).