Escolha uma Página

Com a compra do meia  Jack Grealish, de 25 anos, por 100 milhões de libras, moeda mais forte do mundo, equivalendo a 117 milhões de euros e a 724 milhões de reais, que o Manchester City pagará ao Aston Villa, em novo recorde de transferências na Inglaterra, o técnico Josep Guardiola, de 50 anos, torna-se o mais gastador do futebol mundial, com a soma do seu tempo no Barcelona, no Bayern Munique e agora no City, ultrapassando 1 bilhão e meio de euros. 

RETORNO CERTO – Após encerrar a carreira de jogador com 14 títulos, recorde na história do Barcelona, Guardiola iniciou a de técnico mais vitorioso em três dos principais clubes: Barcelona, de 2008 a 2012, quatro vezes campeão espanhol, duas Champions e um Mundial de clubes. Bayern, de 2013 a 2016, tricampeão alemão, Supercopa europeia e Mundial de clubes. Manchester City, desde 2016, 287 jogos, 218 vitórias, três Premier League e quatro Copas da Liga Inglesa.

A MAIS CARA – A janela de transferências fecha nesta terça (31), como a mais badalada dos últimos tempos, devido a saída de Messi, do Barcelona para o PSG, e de Cristiano Ronaldo, da Juventus para o Manchester United, maiores vencedores da Bola de Ouro. Entretanto, a mais cara foi a do belga Lukaku, vice-artilheiro e campeão italiano 2020-21 na Inter, que receberá do Chelsea de Londres, 115 milhões de euros, o equivalente a 705 milhões de reais. 

O RECORDE – O valor da compra de Lukaku ainda está abaixo das quatro maiores transferências: 220 milhões de euros do PSG ao Barcelona por Neymar, até hoje o mais caro do mundo; 180 milhões de euros do PSG ao Mônaco por Mbappé; 127 milhões de euros do Atlético de Madrid ao Benfica por João Felix; 120 milhões de euros do Barcelona ao Liverpool por Philippe Coutinho, e a mais alta em 2021, 117 milhões de euros do City ao Aston Villa por Jack Grealish. 

PORTUGAL – O Campeonato Português é classificado como sexto mais importante, depois de Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha e França, tanto que só o campeão e o vice-campeão têm vaga certa na fase de grupos da Liga dos Campeões. Nos outros cinco campeonatos, quatro vagas asseguradas. Em Portugal, a redução de investimentos foi de 60%, mas o Benfica surpreendeu, ao elevar os gastos de 64 milhões para 99 milhões de euros.

PANDEMIA – Em comparação com 2019-2020, a temporada (ou época, como se diz em Portugal) teve redução de 169 milhões para 146 milhões de euros, algo em torno de 14%. De uma temporada para outra, as receitas tiveram queda assustadora de 176 milhões para 76 milhões de euros. O Porto respeitou a tendência de queda do mercado e reduziu os gastos de 63 milhões para 12 milhões de euros, e o campeão Sporting seguiu o mesmo caminho.

A VOLTA – Depois de 14 anos na Europa, o meia paulista Willian, de 33 anos, rescindiu contrato ontem (30) com o Arsenal, onde ganhava 280 mil euros, por semana, para voltar ao Corinthians, que o formou na base e ganhou a Copa São Paulo sub-23, em 2005. Em 2007, ganhou 20 milhões de dólares no contrato com o Shakhtar e foi tetracampeão da Ucrânia. De 2013 a 2020, ganhou cinco títulos no Chelsea, e ainda tinha mais dois anos de contrato com o Arsenal.

WILLIAN esteve com a seleção brasileira nas duas últimas Copas do Mundo e foi campeão da Copa América 2019. Natural de Ribeirão Pires, que faz parte dos municípios do ABC paulista, ele confessa emoção ao voltar ao clube do coração: “Sou corintiano e quero encerrar a carreira campeão”. O contrato é até 2023, quando completará 35 anos. Willian soube aplicar bem, gastando com equilíbrio e investindo com inteligência.

Shaun Botterill/Getty Images