A decisão do técnico argentino Eduardo Coudet, de 45 anos, de pedir demissão do Internacional, líder do Campeonato Brasileiro, para assumir o Celta, décimo sétimo do Campeonato Espanhol e só com um ponto a mais que os três últimos, é mais uma dessas surpresas do futebol, mas ele justificou, ao dizer que “as cobranças no futebol brasileiro são exageradas”, e que tinha um grupo reduzido para disputar, ao mesmo tempo, três competições.

COUDET assumiu o Internacional em janeiro e estranhou desde logo o tempo de que dispôs para a pré-temporada. Não entrou nas finais do Campeonato Gaúcho, que o Grêmio ganhou do Caxias, mas deixou o Internacional na liderança do Brasileiro; nas quartas de final da Copa do Brasil e nas oitavas de final da Libertadores. Ele dirigiu o time em 46 jogos – 24 vitórias, 13 empates, 9 derrotas -, mas não conseguiu a cereja do bolo: ganhar do Grêmio. E não disputou dois ou três, foram seis Grenais.

NÃO É PELO passado de seu ex-meia nem tão brilhante e com apenas 12 jogos, em 2002-03, que o Celta está levando Coudet de volta a Vigo, principal porto pesqueiro da Europa, a 596 km da capital Madrid, mas pela repercussão na Espanha do trabalho que vinha fazendo no time líder e com o artilheiro do Campeonato Brasileiro. O presidente Carlos Mouriño espera que o técnico recupere um time desmotivado, que só ganhou 1 dos 9 jogos (4 derrotas, 4 empates) e tem saldo negativo de 9 gols (6 a 15). O Celta pagará ao Internacional o equivalente a R$10 milhões pelo rompimento do contrato, que só terminaria em dezembro de 2021.

AS NOVE RODADAS iniciais de La Liga, como os espanhóis chamam seu campeonato, são surpreendentes. A Real Sociedad lidera com 20 pontos, dois a mais que o Villarreal, e o Atlético de Madrid, único invicto, é terceiro com 17. O todo-poderoso Real Madri, goleado domingo (8) por 4 x 1 pelo Valencia, nono, é quarto com 16. E o Barcelona, oitavo com 11, está abaixo dos modestos Granada e Cadiz, com 14, e do sevilhano Betis, com 12 pontos.

ABEL BRAGA DE VOLTA AO INTERNACIONAL

O carioca Abel Braga, de 68 anos, multicampeão no Fluminense, Vasco e Flamengo, que integra o grupo seleto de técnicos campeões da Libertadores e do Mundial de clubes no mesmo ano, está de volta ao Internacional, que ganhou os títulos em 2006, vencendo o São Paulo e o Barcelona. É a quinta vez que ele comandará o Internacional, que também levou aos títulos de 2008 e 2014 de campeão gaúcho. O contrato será só até dezembro, quando termina o mandato da diretoria. Bom lembrar: o Vasco foi o time mais recente que Abel Braga dirigiu, de dezembro de 2019 a março de 2020. 

Fotos: UOl, Rádio guaíba