OS MAGNATAS SAUDITAS estão em êxtase, alegres, sorridentes, mais que felizes, comemorando o último encontro dos deuses Cristiano Ronaldo e Messi, na noite histórica desta 5ª feira, 19 de janeiro de 2023, com 65 mil torcedores em delírio no estádio Rei Fahd, em Riad, e mais de 100 milhões assistindo no mundo inteiro.

UMA NOITE DE ESPLENDOR, igual às doze noites das festas marcantes, em que receberam a Bola de Ouro de melhores do mundo, as sete de Messi e as cinco de Cristiano Ronaldo. A noite em que Messi abriu o placar logo aos dois minutos e Cristiano Ronaldo empatou de pênalti, uma das marcas da sua precisão.

O TOQUE BRASILEIRO DE CLASSE não faltou na festa, com o zagueiro e capitão Marquinhos fazendo um golaço aos 42 minutos, o 39º em 388 jogos, desde que chegou ao PSG em 2013. Aos 28 anos, o paulistano Marquinhos soube ganhar admiração e respeito dos franceses pelo seu profissionalismo e conduta.

O PSG, MESMO COM 10, pela expulsão do lateral espanhol Juan Bernat aos 39, teve chance do 3º gol, aos 46, mas Neymar não aproveitou o pênalti que sofreu do goleiro saudita Al-Owais, que defendeu. Cristiano Ronaldo empatou aos 50, após cabecear na trave e aproveitar a furada do zagueiro espanhol Sergio Ramos.

NA VOLTA DO INTERVALO, Sergio Ramos reabilitou-se bem, não só ao marcar o 3º gol aos 8, mas ao evitar, no minuto seguinte, que Cristiano Ronaldo estreasse com três gols na Arábia Saudita. O zagueiro sul-coreano Jang Hyun-soo fez 3 x 3, e Mbappé marcou de pênalti o 4º gol do campeão francês.

O PSG AINDA FEZ 5 x 3, aos 32, com o gol do atacante Hugo Ekitiké, de 20 anos, e o baiano Anderson Talisca, aos 47, marcou o 4º gol do combinado saudita, mas a festa já havia acabado, quando Cristiano Ronaldo foi substituído aos 15, e Messi, dois minutos depois. 

O PSG MANDOU fazer camisa especial para o jogo, e colocou na manga a marca de seu mais recente anunciante: GOAT, nome da empresa alemã, que só produz roupas de qualidade, com 40 milhões de clientes em 170 países. Em inglês, GOAT é cabra, mas também abreviatura de maior de todos os tempos (“Greatest of all times”).

O ANÚNCIO NA MANGA DA CAMISA reacendeu a polêmica iniciada entre torcedores do Barcelona e do Real Madrid, durante as nove temporadas em que Messi e Cristiano Ronaldo se enfrentaram em um dos mais apaixonantes clássicos do mundo. Messi ganhou 16 dos 36; Cristiano Ronaldo, 10, e houve 10 empates.

Fotos: Diário do Nordeste, Jovem Pan, Foco no Fato, Premier League Brasil, Sambafoot, Mais Goias,