O Vasco precisa melhorar muito o rendimento nos oito jogos que restam, para não chegar à última rodada com a obrigação de ganhar para evitar outro rebaixamento, o quarto a denegrir sua imagem de tantos títulos, como um dos notáveis da história do futebol brasileiro. Na derrota em casa para o Coritiba e na goleada que levou do Bragantino, as atuações foram simplesmente decepcionantes, para não chegar ao extremo de considerá-las ridículas.

COMPLICADO – O roteiro do Vasco na reta final, com quatro jogos em casa e outros tantos fora, é bem complicado, a partir da noite deste sábado (23), em que não se pode deixar de atribuir acentuado favoritismo ao Atlético, impiedoso no turno, na virada de 4 x 1 no Mineirão. Ganhar do Internacional será outra missão quase impossível, e mesmo os outros dois jogos em São Januário, com Bahia e Goiás, que têm o mesmo objetivo de se manter na Série A, podem ser ainda mais complicados.

SEM MANDO – Nos quatro restantes, sem o mando de campo, a missão do Vasco exigirá ainda mais, ao enfrentar o Palmeiras, na próxima quarta (27), depois o Flamengo, no Maracanã, o Fortaleza, no Castelão, e o Corinthians, na Arena. O Vasco precisa de pelo menos três vitórias, para evitar 2008, que manchou a história de Roberto Dinamite, primeiro ex-jogador presidente, maior artilheiro e ídolo do clube, que se repetiu em 2013 e 2015.

RETROSPECTO – Esperava-se que o rendimento do Vasco, em São Januário, fosse melhor no returno, depois de pouco eficiente no turno, com três vitórias, três empates, três derrotas, nove gols marcados e oito sofridos. O que foi ruim, piorou. O Vasco só conseguiu ganhar do misto do Santos e do indefeso Botafogo; empatar com o Fluminense quase nos acréscimos, perder do Palmeiras e do Coritiba, não sem antes ter sido goleado pelo Ceará. Bons tempos em que São Januário era um alçapão.

O VASCO precisa sair do rebaixamento, hoje (23), voltando a jogar bem e se impondo como mandante. A vitória sobre o Atlético pode ser o início do fôlego de que o Vasco precisa para respirar mais aliviado. Saindo dos 32 pontos e chegando aos 35, ultrapassa um dos que estão à sua frente – Bangu ou Sport, com 32 – e ficar ainda melhor, se Sport e Bahia empatarem. O Vasco só conseguiu vencer 8 dos 32 jogos e decepção aumenta quando se vê que o time sequer conseguiu a média de 1 gol por jogo.

Foto: Lance