A 116ª EDIÇÃO DO CAMPEONATO CARIOCA será iniciada na noite de hoje (25) com Botafogo x Boavista, que vendeu o mando de campo e jogará no estádio Nilton Santos. Com a participação de 12 equipes, o outrora mais charmoso campeonato do Brasil será disputado em turno único em 2022. Os quatro primeiros se enfrentarão em semifinais e os vencedores decidirão o título, também em dois jogos. Os que ficarem entre 5º e 8º disputarão a Taça Rio.

COM APENAS SEIS EQUIPES, o primeiro jogo do Campeonato Carioca foi na 5ª feira, 3 de maio de 1906. No dia seguinte, o Jornal do Brasil publicou: “Inaugurou-se hontem, com o grande meeting, a estação de futebol, podendo-se calcular que 1000 pessoas encheram as amplas archibancadas do Fluminense, notando-se muito interesse pelo match. O Fluminense fez-se representar por um team de respeito e foi elle o vencedor por sete golos a um no Paysandu Cricket.”

ENTRE OS PRIMEIROS CAMPEÕES, na época do amadorismo, o próprio presidente do Fluminense, Francis Walter, goleiro em 6 dos 10 jogos, em que o time ganhou 9, só perdeu 1, fez 52 gols e sofreu 6. Ele era também o presidente da Liga Metropolitana de Football. O campeonato era por pontos perdidos e a vitória valia 2 pontos. O 1º gol foi de Horácio Santos, campeão e artilheiro, com 18 gols em 10 jogos. Em 30 jogos, 0 empate. Três times perderam sem ir ao estádio.

1º TÍTULO NO MARACANÃ – Entre os grandes, o Botafogo foi o último campeão no Maracanã, na final histórica de 22 de dezembro de 1957: 6 x 2 no Fluminense, até hoje a decisão com mais gols, e única em que um jogador, Paulo Valentim fez 5 gols e foi o artilheiro com 22. Após sete anos no Fluminense, o meia Didi pagou promessa e  foi a pé do Maracanã a General Severiano. João Saldanha, o técnico campeão, não tinha salário, só muita paixão pelo Botafogo.

A partir da esquerda, Adalberto, Tomé, Servílio, Nilton Santos, Pampolini e Beto. Agachados, Garrincha, Paulo Valentim, Didi, Edson e Quarentinha, os primeiros campeões do Botafogo no Maracanã. O time triturou o Fluminense, na maior goleada da história das finais do Campeonato Carioca.

CINCO ANOS DEPOIS, O BOTAFOGO ganhava o primeiro bi no Maracanã, com dois gols e um show de Garrincha nos 3 x 0 no Flamengo. Com 147.043 pagantes, foi a única decisão do Carioca em um sábado à tarde (15/12/62), porque domingo a Presidente Vargas, via de passagem obrigatória de carros e ônibus ao estádio, ficaria interditada para a Cruzada do Rosário em Família. Por superstição, apesar do sol e do calor de 42 graus, o Botafogo jogou de mangas compridas…

PELA PRIMEIRA VEZ, O BOTAFOGO teria um bicampeão como jogador e técnico. Saído do Flamengo após a Copa de 58, Zagalo fez 20 jogos em 61 e 23 jogos em 62, com dois gols em cada ano, e em 67-68, em seus primeiros títulos como técnico, teve campanhas rigorosamente iguais: 15 vitórias, 2 empates, 1 derrota em cada ano, ambas para o Vasco. Tachado de retranqueiro, ele respondeu com números: saldo de 19 gols em 67 (30 a 11) e de 30 gols em 68 (40 a 10). 

Quarentinha, o maior artilheiro do Botafogo: 313 gols em 444 jogos. Único três vezes consecutivas. De: Marcelo <marcelo3k@gmail.com> Enviado: segunda-feira, 24

GLORIOSO DESDE 1910 – Campeão carioca pela primeira vez em 1910, o Botafogo só perdeu na estreia (América 4 x 1), tal como voltaria a acontecer em 1948 (São Cristóvão 4 x 0). Foram depois nove vitórias consecutivas, e a cada uma, o clube recebia parabéns, em mensagens que começavam assim: “Ao Glorioso Botafogo F.C…” Bom lembrar: Nilton Santos, às vezes, deixava a timidez de lado, e um dia me disse: “Eu fui campeão invicto em 48. Não joguei na estreia…” 

CINCO VEZES CONSECUTIVAS – O Botafogo é o único que liderou a artilharia do Carioca cinco vezes consecutivas, com  Paulo Valentim em 1957 (22 gols); Quarentinha em 1958 (19 gols); em 1959 (25 gols), em 1960 (25 gols), e Amarildo em 1961 (18 gols). Com 21 títulos e campeão pela última vez em 2018, o Botafogo não terá em 2022 o meia Luis Oyama e o atacante Rafael Navarro, artilheiro do time, campeões da Série B em 2021.

O gaúcho João Saldanha, então aos 40 anos, carregado em triunfo após os 6 x 2 na final de 1957.
Apaixonado pelo Botafogo, o técnico nunca aceitou dinheiro do clube.

SUPERMOTIVADO – O Botafogo inicia 2022 supermotivado, após se tornar Sociedade Anônima, com o anúncio de grandes investimentos do novo gestor John Textor, que promete fazer do futebol do clube uma potência. O técnico Enderson Moreira, respaldado pelo bom trabalho de 2021, na volta do clube à elite, aguarda a chegada dos reforços. O time ainda não terá o meia Chay, recuperando-se de cirurgia no joelho, mas conta com a volta do goleiro Gatito.

Fotos: Botafogo FC / Lance! / Arquivo Nacional