Escolha uma Página

ALEGRA-ME REGISTRAR os 65 anos de Leandro, entre os raros que só vestiram uma camisa de clube, que soube honrar em 411 jogos, durante 14 anos, como um dos notáveis da geração de ouro do melhor Flamengo de sempre, campeão brasileiro, sul-americano e mundial. Terceiro maior ídolo, depois de Zico e Junior.

LEANDRO FOI CAMPEÃO nove vezes na lateral e na zaga, sempre com técnica refinada, que mostrou desde a base, entre 76 e 78, até encerrar em 90, como profissional aplicado e correto, aos 31 anos. A lamentar que tenha sido pelos problemas crônicos nos joelhos, com artrose no direito e tendinite no esquerdo.

Brasil 2×1 URSS (Copa 82): Em pé: Waldir Peres, Oscar, Leandro, Falcao, Luizinho, Junior. AGACHADOS Dirceu, Socrates, Serginho, Zico, Eder”

LEANDRO TAMBÉM se destacou na seleção que encantou o mundo e não ganhou a Copa em 82, formando a linha de zagueiros com Oscar, Luizinho e Junior. Marcou dois gols em 27 jogos, entre 81 e 86, quando agradeceu a Telê Santana para que disputasse a segunda Copa porque o joelho não suportava.

DE TEMPERAMENTO calmo, Leandro só foi expulso de campo uma vez, ao se desentender com o ponta Ado, do Bangu, na vitória do Flamengo (3 x 1), pela Copa Rio, na noite da 4ª feira (23/11/83), no Maracanã. Nos 411 jogos, ganhou 236, marcou 14 gols, empatou 98 e perdeu 77.

LEANDRO FOI ASSISTENTE de Junior, técnico do Flamengo em 97, e coordenador da Cabofriense em 99, com outro ex-companheiro, Sócrates, com quem disputou só três jogos, que ficou pouco tempo como técnico. Leandro optou pelo sossego de Cabo Frio, onde nasceu (17/3/59) e tem a Pousada Leandro.

LEANDRO é o mais bem-sucedido do ramo turistico de Cabo Frio, na da Região dos Lagos, na Costa do Sol, a 155 km do Rio de Janeiro. Ele ganhou da cidade natal uma estátua na Praia do Forte, e do clube, um busto na sede da Gávea. Leandro e Carlinhos, o violino, não vestiram outra camisa, só a do Flamengo.

Fotos: VAVEL, GOAL, Prefeitura de Cabo Frio, Reprodução e Site Mundo Rubro Negro