Escolha uma Página

ÚNICO TÉCNICO CAMPEÃO da Libertadores e do Mundial de clubes da história de 128 anos do Flamengo, Paulo Cesar Carpegiani completa 75 anos hoje, nascido na 2ª feira, 7 de fevereiro de 1949, em Erechim, segunda maior cidade do Norte do Rio Grande do Sul. Uma das grandes amizades que o futebol me proporcionou.

VI CARPEGIANI BRILHAR, e se tornar um dos maiores ídolos do Internacional, no bicampeonato brasileiro de 75-76, em finais com o Cruzeiro e o Corinthians. Ele era um dos símbolos da geração de ouro do Inter, com outros notáveis, como o zagueiro chileno Elias Figueroa; o volante Paulo Roberto Falcão, e o excepcional goleiro Manga.

CARPEGIANI participou de sete dos oito títulos gaúchos consecutivos do Inter, cuja camisa honrou em 122 jogos, com 20 gols, de 1969 a 1977, quando chegou ao Flamengo. Com Adílio e Zico, Carpegiani compôs o meio-campo de técnica refinada, tricampeão carioca de 78-79-79 (Especial), sob a orientação de Claudio Coutinho.

A CAMISA QUE CARPEGIANI mais vestiu foi a do Flamengo, em 223 jogos, com 136 vitórias e 12 gols, entre 1977 e 1981, quando uma lesão no joelho o obrigou a parar. Encerrou campeão carioca, atuando nos três primeiros jogos, e já técnico nos últimos 32 jogos, com 2 x 1 na final com o Vasco, diante de 161.980 pagantes.

UMA SEMANA DEPOIS, cobri no Estádio Nacional de Tóquio, no ensolarado domingo, 13 de dezembro de 81, a final com o Liverpool, que o Flamengo decidiu (3 x 0) em 28 minutos, com um gol de Adilio e dois gols de Nunes. Carpegiani montou um time irretocável: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Junior; Andrade, Adilio e Zico; Tita, Nunes e Lico. O melhor Flamengo de sempre!

COBRI TAMBÉM atuações notáveis de Carpegiani, nos cinco dos sete jogos da seleção, que Zagallo levou ao 4º lugar da Copa de 74, com Piazza, Rivellino, Paulo Cezar e Jairzinho, remanescentes da Copa de 70. Carpegiani substituiu Clodoaldo, cortado por lesão na coxa, no último amistoso, com o FC Basel, na Suíça.

CAMPEÃO PARAGUAIO em 92 e 94 com o Cerro Porteño, Carpegiani foi escolhido técnico da seleção para a Copa de 98, a última das oito consecutivas que cobri. O Paraguai só foi eliminado pela França, que seria campeã pela primeira vez, mas teve atuações destacadas do goleiro Chilavert e do lateral Arce, campeão no Grêmio e no Palmeiras.

CARPEGIANI conseguiu um feito raro na história do Paraguai em oito Copas do Mundo. O zagueiro Carlos Gamarra, que fez parte da seleção da Copa de 98 da Fifa, tornou-se o primeiro, e até hoje único, a não cometer sequer uma falta em quatro jogos. Gamarra, hoje aos 52 anos, foi campeão no Flamengo, Corinthians e Internacional.

BOM LEMBRAR: a Copa de 98, primeira das sete com 32 seleções, foi a que teve mais técnicos brasileiros: Carpegiani (Paraguai, 14º), Renê Simões (Jamaica, 22º), Carlos Alberto Parreira (Arábia Saudita, 28º), e a última Copa, como técnico, de Mario Jorge Lobo Zagallo, vice-campeão.

Fotos: Acervo Deni Menezes, Terceiro Tempo e Lance!