Escolha uma Página

Real Madrid e Barcelona disputarão amanhã (10) o jogo 245 da história do maior clássico do mundo, iniciada na terça-feira, 13 de maio de 1902, com vitória do Barcelona por 3 x 1. Desde então, em 244 confrontos, o Real Madrid venceu 97, com 407 gols; o Barcelona ganhou 95, com 397 gols, e houve 52 empates. O primeiro brasileiro a brilhar foi o atacante carioca Evaristo de Macedo, ídolo nos dois clubes, bicampeão no Barcelona (58-59/59-60), e tricampeão no Real Madrid (62-63/63-64/64-65). 

LIDERANÇA – Faltando oito rodadas para o final do campeonato 2020-2021, que terminará dia 23 de maio, o vencedor de amanhã (10) estará mais próximo do líder Atlético de Madrid, com 66 pontos, que joga domingo (11) com o Betis, sexto, com 46, no estádio Benito Villamarin, em Sevilha. O Barcelona, com 65 pontos, pode pelo menos passar a virada do sábado para domingo na liderança, e o Real Madrid, terceiro, com 63 pontos, ficará sem chance de ser bicampeão se não ganhar o clássico.

PRIMEIRA VEZ – Real Madrid e Barcelona, além de se enfrentarem em seus próprios estádios, já disputaram jogos do campeonato em outros dois estádios: o antigo Vicente Calderon, do Atlético de Madrid, e o Mestala, do Valencia. Amanhã (10), pela primeira vez, jogarão no Alfredo Di Stefano, estádio alternativo do Real Madrid, em Valdebebas, município do Noroeste da capital espanhola, enquanto o Santiago Bernabeu continua sendo reformado e ampliado para a temporada 2021-2022.

BRASILEIROS – O Real Madrid tem cinco brasileiros no elenco – Casemiro, Vinícius Junior, Rodrygo, Eder Militão e Marcelo -, mas o técnico Zinedine Zidane ainda não anunciou a escalação. O único brasileiro do Barcelona é Philippe Coutinho, fora do restante da temporada, com problema no joelho, e o técnico Ronald Koeman já antecipou a formação: Ter Stegen, Lenglet, De Jong e Mingueza; Dest, Pedri, Busquets e Jordi Alba; Messi, Griezmann e Dembélé.

NOTÁVEIS – Os técnicos estão entre os notáveis dos clubes. Ronald Koeman, holandês de 58 anos, jogou seis anos no Barcelona,  de 89 a 95, foi tetracampeão espanhol (90-91 a 93-94), campeão e artilheiro da Liga dos Campeões (93-94), com 8 gols em 12 jogos. Bom dizer: além de ter sido o zagueiro com mais gols na história do futebol mundial – 250 em 759 jogos -, foi também o que mais fez gols de falta (60), na carreira de 17 anos, entre 1980 e 1997. E foi tricampeão holandês no PSV, de 86-87 a 88-89.

ÚNICO TRI – Francês de 48 anos, Zidane, meia de técnica refinada, fez 244 jogos e 59 gols pelo Real Madrid, entre 2001 e 2006, depois de 239 jogos e 42 gols pela Juventus, de 1996 a 2001. O Real Madrid é seu único time como técnico, que amanhã (10) completa 250 jogos, com 164 vitórias, e um realce no currículo: único técnico a ganhar três vezes consecutivas a Liga dos Campeões da Europa, mais importante torneio de clubes do mundo (2015-16 a 2017-18). 

FENÔMENO – Além de Evaristo, outro carioca que brilhou nos arquirrivais foi Ronaldo Fenômeno. Em sua única temporada no Barcelona, fez 47 gols em 49 jogos e ganhou a Supercopa da Espanha (1996-1997), e no Real Madrid, entre 2002 e 2007, marcou 104 gols em 177 jogos e foi campeão espanhol em 2002-2003. Tanto Evaristo de Macedo, hoje aos 88 anos, morador da área nobre de Ipanema, quanto Ronaldo Fenômeno, hoje aos 44 anos, continuam desfrutando de muito prestígio nos dois clubes.

ROMÁRIO – O artilheiro de 993 gols em 827 jogos oficiais, entre 1985 e 2007, teve o merecido destaque no Barcelona, com 39 gols em 65 jogos, em 93-94, quando foi campeão espanhol, e em 94-95. Depois dele, outro brilhante: Ronaldinho Gaúcho, de 2003 a 2008, com 108 gols em 249 jogos, bicampeão espanhol e da Liga dos Campeões. Em inesquecíveis 3 x 0 do Barcelona, no estádio Santiago Bernabeu, marcou dois golaços e os torcedores do arquirrival Real Madrid se levantaram para aplaudi-lo.

NEYMAR – No grande período da carreira, entre 2013 e 2017, Neymar fez 105 gols em 186 jogos, formando com Messi e Luis Suarez o melhor ataque mais recente do Barcelona, bicampeão espanhol, campeão da Liga dos Campeões e Mundial de clubes. Parceiros e amigos, afinados dentro e fora de campo, Suarez e Messi lamentaram a saída de Neymar. Do trio, resta Messi, de vez que Suarez também trocou o Barcelona pelo Atlético de Madrid.

ARBITRAGEM – Três dias depois da atuação correta em Bayern 2 x 3 PSG, sob a neve de Munique, no Sul da Alemanha, Antonio Miguel Mateu Lahoz, de 44 anos, natural de Valencia, árbitro FIFA desde janeiro de 2011, apitará amanhã (10) Real Madrid x Barcelona. Bom lembrar: Mateu Lahoz foi o árbitro do jogo de abertura dos Jogos Olímpicos de 2016, Brasil 0 x 0 África do Sul, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, na quinta-feira, 4 de agosto.

Fotos: Estadao Esportes / Rappler