Três dias depois de perder do Fluminense, no último jogo do turno do Brasileirão, o Corinthians fez outro papelão na noite de ontem (18), desta vez em sua própria Arena, em Itaquera, zona leste da capital paulista, onde foi derrotado (2 x 0) pelo inexpressivo Independiente del Valle, do Equador. Foi o jogo de ida das semifinais da Sul-Americana.

EMPRESTADO – O atacante Gabriel Torres, 30 anos, 1,80m, é um dos quatro estrangeiros entre os 23 que formam o elenco do Independiente del Valle. Nascido no Panamá, é da Universidad de Chile e joga no time equatoriano por empréstimo, sob contrato até 2022. Fez o primeiro gol aos 44, e marcou o segundo gol aos 24 do segundo tempo.

TERCEIRA VEZ – Esta é apenas a terceira participação do Independiente del Valle, que só havia disputado a Sul-Americana em 2013 e 2014. Fundado há 61 anos, só entrou na primeira divisão equatoriana em 2010. Sua sede é no subúrbio de Sangolquí, na região metropolitana de Quito. Seu estádio só tem 10 mil lugares e utiliza o Estádio Olímpico de Quito, na altitude de 2.850 metros, onde na próxima semana o Corinthians terá que ganhar de 3 x 0 para ser finalista ou pelo menos devolver os 2 x 0 para decidir a vaga em pênaltis.

COLON x ATLÉTICO – O primeiro jogo da outra semifinal da Copa Sul-Americana será na noite de hoje (19), no estádio Estanislau Lopez, do Club Atlético Colon, que receberá o Atlético Mineiro, em situação muito complicada no Brasileirão 2019.

O estádio foi sede da Copa América de 2011 e tem capacidade para 36 mil torcedores. É conhecido como Cemitério de Elefantes porque nos primeiros dez anos de sua inauguração, River, Boca, Racing e Independiente não conseguiam ganhar do Colon.

SE O ATLÉTICO é nono entre os vinte do Campeonato Brasileiro com 27 pontos – 15 pontos atrás do líder Flamengo -, o Colon é o décimo quarto entre os 24 do Campeonato Argentino, 7 pontos, metade dos 14 do líder Boca Juniors. O Atlético perdeu os últimos cinco jogos, sem fazer gol em três no Brasileirão 2019. 

Foto: Super Esportes