COM MAIS UM SHOW DE BOLA E RECORDE DE GOLS, o Atlético Mineiro está perto de ganhar a Tríplice Coroa 2021 – campeão mineiro, campeão brasileiro e campeão da Copa do Brasil -, com a goleada de 4 x 0 deste domingo (12), no Mineirão, sobre o Athletico Paranaense, com show de bola, diante de 53.181 torcedores, R$8.325.723,05. O Atlético repetiu os 4 x 0 da semifinal com o Fortaleza e estabeleceu o maior placar em uma final da Copa do Brasil.

ARTILHEIRO DO BRASIL em 2021, com 35 gols em 67 jogos, Hulk é o artilheiro da Copa do Brasil com 7 gols em 9 jogos, faltando um jogo, depois dos prêmios de melhor jogador e artilheiro do Campeonato Brasileiro com 19 gols em 38 jogos. Hulk abriu o placar aos 24 minutos, convertendo com chute rasteiro, no canto esquerdo, o pênalti cometido com o braço pelo meia Leo Cittadini, ao desviar cruzamento do meia argentino Matias Zaracho. 

A VANTAGEM DO ATLÉTICO MINEIRO, que não deixou o Athletico Paranaense sair do próprio campo, demorou até além do esperado, porque o domínio foi amplo desde o início. O ponta baiano Keno ampliou a vantagem aos 24 minutos, com chute rasteiro e bem colocado no canto direito, rente à trave, após se livrar de dois marcadores. O único lance de gol criado pelo Athletico Paranaense no 1º tempo foi em cobrança de falta que o goleiro Everson defendeu.

O ATLÉTICO MINEIRO fez a primeira substituição aos 12 minutos, quando Diego Costa pediu para sair, ao sofrer falta dura do zagueiro Tiago Heleno, que o atingiu no joelho. Foi o primeiro dos cinco advertidos com cartão amarelo e único suspenso do jogo de volta, 4ª (15), em Curitiba. Capitão do Athletico Paranaense, Tiago Heleno teve atuação insegura e foi desleal em vários lances, além de falhar feio no 3º gol, e de insistir em reclamações com o árbitro.

O CHILENO EDUARDO VARGAS, que substituiu Diego Costa, aproveitou bem as chances de gol na volta do intervalo, fez o 3º aos 11 minutos, após o rebote do goleiro Santos em chute de Hulk, e fechou a goleada aos 24, com assistência do argentino Nacho Hernandez, depois de boa tabela com Hulk. O Atlético poderia ter feito o 5º gol, mas Hulk, após grande arrancada e driblar dois marcadores, falhou na finalização. Irritado, deu dois socos no gramado, antes de se levantar

A MAIOR VITÓRIA DO ATLÉTICO MINEIRO sobre o Athletico Paranaense, como visitante, havia sido por 4 x 0, gols de Junior, Tardelli e Eder Luis (2), em jogo do Campeonato Brasileiro de 2009, domingo, 7 de junho, na Arena da Baixada. O 5º gol, que Hulk não fez, foi o que  faltou para igualar a maior vitória (5 x 0), no Mineirão, no domingo, 17 de outubro de 1976, com três gols de Reinaldo, maior artilheiro da história do clube. Em 1976, o Atlético ficou em 3º no Brasileiro.

OS QUASE CAMPEÕES – Everson, Mariano, Igor Rabello, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Tchê Tchê), Jair (Calebe), Matias Zaracho e Keno (Nacho Fernandez); Hulk e Diego Costa (Eduardo Vargas) – o Atlético Mineiro, do técnico Cuca, que pode perder até por 3 x 0 na próxima 4ª (15), para voltar a ser campeão da Copa do Brasil como em 2014, e igualar a Tríplice Coroa do Cruzeiro em 2003, campeão mineiro, brasileiro (1º dos pontos corridos) e da Copa do Brasil.

MISSÃO (QUASE) IMPOSSÍVEL – Santos, Pedro Henrique, Tiago Heleno e Nicolás Hernandez (Pedro); Marcinho, Eric, Cittadini (Canesin) e Abner (Nicolás); Nikão, Terans (Jader) e Kayzer (Mingotti) – o Athletico Paranaense, do técnico Alberto Valentim, com a missão (quase) impossível de ganhar o 2º jogo por 4 gols para decidir nos pênaltis ou por 5 gols para ser campeão outra vez da Copa do Brasil como em 2019.

ARBITRAGEM – O carioca Bruno Arleu de Araújo, de 38 anos, teve atuação correta, aplicando com acerto os seis cartões amarelos em Hulk, Arana e Igor Rabello, do Atlético Mineiro, e Pedro Henrique, Nicolás Hernandez e Tiago Heleno, único suspenso do 2º jogo, 4ª (15), em Curitiba. Árbitro da Federação do Rio desde 2008, o militar Bruno Arleu de Araújo entrou na CBF em 2012 e ganhou o prêmio de melhor árbitro do Campeonato Brasileiro de 2021. É da FIFA desde 2019.

Foto: CNN Brasil, Facebook do Atlético Mineiro.