O Flamengo estabeleceu mais um recorde na goleada (6 x 1) sobre o Avaí, na noite de ontem (5), no Maracanã, ao terminar a penúltima rodada com 90 pontos, 19 acima do vice-líder Santos e do Palmeiras, ambos com 71.A vantagem do Flamengo é a mais ampla da história do Campeonato Brasileiro, por pontos corridos, com vinte equipes, desde 2006, do único time com dois 6 x 1 no Brasileirão 2019, após o primeiro no Goiás, na décima rodada, em 14 de julho.

QUARTA GOLEADA – Depois de 6 x 1 no Goiás, 4 x 1 no Corinthians, 4 x 1 no Ceará, o Flamengo não poderia ter tido despedida mais alegre do Maracanã, sem nenhuma derrota no Brasileirão 2019, que ganhou com quatro rodadas de antecipação. Os 6 x 1 no Avaí foram o fecho, com chave de ouro, de uma campanha irretocável diante da torcida.

28 VITÓRIAS, 86 GOLS – O Flamengo chegou aos 86 gols em 37 jogos – média de 2.32 gols por jogo -, tendo os dois principais artilheiros – Gabriel (25), Bruno Henrique (21) – e com 28 vitórias e 6 empates. As três derrotas, sofridas no turno, foram como visitante: 1 x 2 para o Internacional e 1 x 2 para o Atlético Mineiro, e 0 x 3 para o Bahia.

SÓ EM TRÊS JOGOS – Dos 37 jogos – 28 vitórias, 6 empates, 3 derrotas -, o Flamengo só não fez gol em três: 0 x 0 no turno com o Fluminense, 0 x 0 no returno com o São Paulo e na terceira e última derrota como visitante, no turno, 0 x 3 para o Bahia, única sofrida pelo  técnico Jorge Jesus. À TV portuguesa, ele revelou preferência por trabalhar na Espanha.

CINCO VIRADAS – Das 28 vitórias do Flamengo em 37 jogos, cinco foram de virada, desde a primeira, logo na estreia, 3 x 1 no Cruzeiro. A segunda do turno, 3 x 2 no Athletico Paranaense. A primeira no returno, 2 x 1 no Fortaleza, única como visitante. As duas últimas, no Maracanã, 3 x 1 no Bahia e 4 x 1 no Ceará.

SÓ UM GOL EM CINCO – Nas 28 vitórias, o Flamengo só fez um gol em cinco, ao vencer o Santos, no turno, e ao ganhar no returno do CSA, Chapecoense, Botafogo e Grêmio. O Flamengo fez dois gols em sete jogos; três gols em onze jogos; quatro, em quatro jogos, e único a marcar seis gols em dois jogos (6 x 1 no Goiás, 6 x 1 no Avaí).

HOMENAGEM – O gol 13 de Arrascaeta, foi dedicado a Zagallo, que estava no Maracanã. O primeiro dos 6 x 1 no Avaí, aos 11 minutos. Everton Ribeiro merecia o gol na falta primorosa que bateu no travessão aos 15, e sete minutos depois, o lateral Lourenço empatou, com a bola batendo na trave, e nas costas do goleiro Cesar, antes de entrar.

OITO MESES DEPOIS – Se houve em campo, na noite de ontem (5), um a merecer a alegria de um gol, foi Diego, ao fazer o do desempate (2 x 1), com chute da entrada da área aos 37. Após longa ausência, pela cirurgia no joelho, foi o primeiro que marcou, oito meses após o também primeiro gol, logo aos 3 minutos, dos 6 x 1 no São José, da Bolívia, na noite de 11 de abril, no Maracanã, pela quarta rodada do Grupo 4 da Libertadores.

BEIJO ESTRANHO – Dois minutos após o gol de Diego, o terceiro do Flamengo, aos 39, despertou atenção. Não pela força e precisão do chute de Gabriel, nem por ter sido bem de fora da área, mas pela comemoração. Pela primeira vez, o artilheiro se ajoelhou e beijou o gramado. Até então, ele nunca fizera isso no Maracanã. Soou como despedida.

OS TRÊS ÚLTIMOS – Na minha visão, Lincoln não tem tido tantas chances quanto merece. Ele não é apenas bom finalizador, como no lance do quarto gol da noite de ontem (5), aos 12 do segundo tempo, mas participa bem, abre espaços, dá boas assistências. Reinier, que fez o quinto aos 39, em tabela com Diego, e o sexto aos 44, com o cruzamento de Rafinha, aproveitou mais que nos últimos jogos.

CARTÃO ÚNICO – A campanha do Flamengo é muito exaltada e com méritos, claro. Mas, a do Avaí, o que menos venceu (3), o que mais perdeu (24), o que menos fez gol (18), o que mais sofreu (61), último e rebaixado, quatro rodadas antes do fim, e com 19 pontos dos 111 disputados, merece um elogio: joga limpo, tem fair play. O único cartão foi o do lateral Lourenço, autor do gol, ao puxar a camisa de Gerson, aos 28 do segundo tempo. 

BOA ESTREIA – Jefferson Moraes, da Federação Goiana, fez boa estreia na Série A, dentro do projeto de renovação da arbitragem. Com bom condicionamento fisico, acompanhou os lances sempre de perto, foi correto na aplicação da lei da vantagem e acertou na marcação das 31 faltas (18 do Flamengo).

OUTRA MARCA – Com mais de 90% dos ingressos adquiridos sempre com antecedência, outra boa marca do Flamengo no último jogo do ano no Maracanã: R$3.401.634,00. 64.648 pagantes. A chuva bem intensa, que demorou a dar trégua, mostrou que a drenagem do gramado não chegou a ser tão comprometida.

FLAMENGO –Cesar, Rafinha, Thuler, Rhodolfo e Renê; Piris da Mota, Diego, Everton Ribeiro (Willian Arão, 37 do segundo tempo) e Arrascaeta (Gerson, 27 do segundo tempo); Lincoln (Reinier, 16 do segundo tempo) e Gabriel. Com certeza, alguns titulares voltarão domingo (8) na Vila Belmiro. O Flamengo quer terminar com 29 vitórias e 93 pontos.

370 JOGOS, 849 GOLS – A penúltima das 38 rodadas do Brasileirão 2019 foi concluída na noite de ontem (5), com 17 gols nos quatro jogos. Em 370 jogos, 849 gols, média de 2.29 gols por jogo, com 347 marcados no primeiro tempo. O número de empates e de vitórias dos visitantes está igual em 95 jogos. Os mandantes ganharam 180 dos 370 jogos.

ÚNICO VISITANTE – O Corinthians foi o único visitante a vencer na penúltima rodada (1 x 0 no Ceará). O único 0 x 0, trigésimo terceiro do Brasileirão 2019, foi no Maracanã, Fluminense 0 x 0 Fortaleza. A goleada da noite de ontem (5) do Palmeiras sobre o Goiás, no estádio do Guarani, em Campinas, foi o primeiro 5 x 1 do Brasileirão 2019.

Foto: Metrópoles